Floripa Master e Magistral Cordioli – Polêmica

Floripa Master e Magistral Cordioli – Polêmica

Como noticiamos ontem, após o aclamado Floripa Open, o xadrez não parou na bela cidade de Florianópolis. Para fechar com chave de ouro, a capital do belo estado de Santa Catarina ainda realizou dois eventos fechados: o IV Floripa Chess Master e o II Magistral Lourenço João Cordioli – ambos disputados em 9 rodadas e com o clássico ritmo de 1h30min mais 30 segundos por lance.

 

MAGISTRAL JOÃO CORDIOLI: MANDETTA CAMPEÃO

O número 1 do Magistral João Cordioli foi o mais brasileiro de todos os Sérvios (à frente até do eterno camisa 10 do Flamengo, Petković) o MI Dragan Stamenkovic (2418). Mas quem levou o título foi o proletário MF santista João Danilo Mandetta (2337). Danilo somou 6,5 pontos (4 vitórias e 5 empates), com uma performance de 2390 e mais 14,8 pontos de rating para casa. Mas, infelizmente, o que não veio, por meio ponto, foi a segunda norma de MI para Mandetta.

O angolano Cristiano Aguiar (2200) ficou em segundo lugar, com 5,5 pontos, seguido do MN Guilherme Deola Borges (2092) – também com 5,5 pontos.

 

Ao melhor estilo Jim Morrison: Danilo Mandetta

 

IV FLORIPA CHESS MASTER: NORMA SIM; NORMA NÃO.

Já no Floripa Master tivemos um pouco mais de emoções – e alguma polêmica também. O torneio contou com nomes de peso como os GMs Neuris Delgado (2615); Jose Cubas (2469); Andrés Rodriguez (2468). Além dos MIs Lenadro Perdomo (2459); Roberto Molina (2440); Francisco Trois (2218) e os MFs Victor Shumyatsky (2452); Cesar Umetsubo (2407); Lucas Aguiar (2287) – e o MN Diogo Duarte Guimarães (2219).

Antes de falarmos do campeão e vice, e da polêmica que os envolveu, destaque para César Umetsubo e Victor Shumyatsky. Terceiro e quarto, respectivamente – ambos com 5,5 pontos.

Os dois jogadores conseguiram norma de MI, embora a de Umetsubo tenha vindo por mera formalidade. O sorridente MF já possuía as três normas necessárias para requerer o título de MI – que apenas aguarda a homologação na FIDE. Já Shumyatsky não poderia ter feito um melhor proveito das terras catarinenses. O MF brasiliense já havia conquista sua segunda norma de MI no recém findado Floripa Open e conseguiu a sua terceira e definitiva neste Floripa Master. Victor será nosso 33º MI. Parabéns!

E reatualizando o ditado popular: “duas normas com uma viajada só”!

 

O mais novo MI do Brasil: Victor Shumyatsky!

 

Mas em se tratando de normas, nem tudo foram flores no Floripa Master…

 

POLÊMICA SOBRE A NORMA

Ironia do destino, na última rodada do evento, os caminhos do GM uruguaio Andres Rodriguez e do MI brasileiro Roberto Molina cruzaram-se. Molina liderava a competição com 6,5 pontos – um ponto na frente de Andres. Mas ambos estavam indo para a última rodada com objetivos diversos: Rodriguez buscava o título e, obviamente, Molina também. Contudo, mais importante que o título, Molina precisava apenas de meio ponto para cravar sua terceira e definitiva norma de GM. Resultado da partida: vitória de Andres Rodriguez.

 

Andres Rodriguez: Campeão do Floripa Master 2017!

 

O que parece ter gerado polêmica nas redes sociais (num post na página pessoal do MI Molina) foi o fato do GM uruguaio não haver aceitado o empate proposto pelo brasileiro durante a partida – ou um pouco depois do início da partida. A controvérsia aconteceu, principalmente, devido ao fato de não haver premiação no evento (os jogadores apenas receberam seus respectivos cachês conforme suas titulações) e, em princípio, a partida só estaria “cumprindo tabela”.

O que não é bem verdade. Querendo ou não, estava em disputa, sim, o título do evento (com ou sem premiação). Além, claro, do fator rating – ganhar ou perdê-lo.

De toda forma, alguns torcedores mais “apaixonados” do MI Molina chegaram a comentar que acharam desleal, ou descortês, a não aceitação do empate por parte do GM Andres. O empate nada mais seria do que uma gentileza, ou um reconhecimento, pelo esforço do MI brasileiro. Nesse meio tempo até a “expulsão” do GM Andrés Rodriguez em torneios brasileiros foi “proposto”.

Mas, entretanto, logo em seguida, vários jogadores vieram em defesa do GM uruguaio. Inclusive louvando sua atitude em jogar buscando a vitória e não se deixar ater por motivações extra-tabuleiro (embora até mesmo alguns pontos deste teor tenham sido levantados – congresso técnico, horário de rodadas, etc.). E, realmente, é difícil encontrarmos algo mais digno, e respeitoso, do que se jogar para ganhar. E independente do resultado, motivo, situação – ou qualquer outra questão do tipo.

E afora toda a polêmica: é fato de que a terceira norma de GM do MI Molina é apenas uma questão de tempo!

 

FONTE

Chess Results (IV Floripa Chess Master 2017)

Chess Results (II Magistral Lourenço João Cordioli 2017)

 

Escrito por Equipe Academia de Xadrez Rafael Leitão 03-02-2017

Comments ( 10 )

  • Danielborgesbr

    Andres Rodriguez tem meu respeito. Jogou para jogar respeitando todos os demais jogadores do evento e repeitando o jogo. Quer água fresca fica em casa.

  • Roberto Molina

    Boa!
    E diga-se de passagem, eu não polemizei nada e sim alguns amigos. Eu mesmo estava sem internet e só fui ver a ”bomba” explodir bem depois, rs!
    E quanto a questão da norma, sei que é questão de tempo apenas, tenho me esforçado pra tal e sei que serei recompensado mais cedo ou mais tarde!
    Vlw Rafa!

    • Rafael Leitão

      Valeu Molina! Estou aqui na torcida! Grande abraço!

    • Leandro Campelo

      É isto aí Molina! Logo você vai conseguir! Forte abraço.

  • Mauro Amaral

    Continuaremos na torcida para que o MI Molina faça sua última norma de GM. Ele merece!

  • Leandro

    Nossa, muito bom ver o post do Molina aqui.
    Tô triste, meio ponto só…. Mas a norma é uma questão de tempo. O próximo torneio virá, tô certo disso.
    E muitos torneios virão pra essa geração nova que o Brasil tá merecendo e necessitando muito (putz, nada contra, mas só Leitão, Milos, Krikor, Fier…. Esses homens vão se aposentar um dia, o sangue novo precisa começar a mostrar a que veio)
    Colo aqui minha opinião indignada no Facebook, antes de conhecer a versão do Molina.
    Boa sorte, Molina

    Cara, pelo que li Molina precisava de meio ponto, propôs o empate, o sujeito não aceitou.
    Se foi isso mesmo…. pqp…. cara, tem de ser esportista. Jogar com garra e vencer.
    Andrés fez o correto, queria ser campeão do torneio e jogou o seu ritmo. Quem deveria fazer o mesmo era Molina.
    O nível dele já dá pra entrar numa abertura com fama de empate e conquistar isso no tabuleiro sem acordo nenhum
    Ao meu ver isso nem acordo é, chama-se conchavo

    Tô triste pelo Molina ter perdido, o jogo e a chance da norma…. Mas se ele não aceitar esse solavanco na carreira, ao meu ver se mostrará indigno de ser mais um GM e possível representante do Brasil nas Olimpíadas.

    Andrés chegou, jogou pra vencer e venceu…. O que ele fez de errado?
    A mim não tem polêmica nenhuma nisso daí
    Todo mundo deve jogar pra ganhar
    Fico a imaginar Bobby Fischer ou Kasparov vendo essa cena e esse conchavo numa partida decisiva …..

  • Daniel Ignacio

    No entiendo siquiera cuál es la polémica. Acaso la norma la consigue con bondades de otro?. Si quiere la norma, que sude para ella, como la sudan todos. Institucionalizar la bobada, es cosa de tontos. NO HAY POLEMICA. Rodríguez no tenía por qué darle medio punto. Que se lo gane!.

  • Marco Aurélio Maia

    O velho dilema de precisar apenas do empate na última e decisiva rodada! Isto é citado em vários livros… Certamente o fator psicológico pesou e nosso MI Molina deixou escapar. Certamente aproveitará as lições aprendidas neste torneio de Floripa e vai conseguir a norma definitiva de GM no próximo.
    Força,Molina!
    Estaremos na torcida!

    É oarabens ao Andrea Rodríguez pela atitude de jogar a vencer, mesmo que nós brasileiros tenhamos ficado irritado com isto. 😉

  • Marco Aurélio Maia

    Perdoem os erros na digitação, mas encaminhei o post pelo telefone celular.. !-)

  • Jaime Stone

    Sim para conquistar algo, tenho que me aplicar e vencer, só depende de mim !?

Post a Reply