A Criação da APX e a Carta Aberta aos Enxadristas Brasileiros

A Criação da APX e a Carta Aberta aos Enxadristas Brasileiros

A Criação da APX e a Carta Aberta aos Enxadristas Brasileiros

A Associação Para o Xadrez Brasileiro (APX-BR) foi criada por dezesseis dos principais enxadristas do país com a finalidade de questionar e buscar melhorias no que tange à atual administração do xadrez nacional. Inicialmente, a associação divulgou uma carta aberta explicando suas demandas e firmando um compromisso com a comunidade enxadrística.

C:UsersUserDesktopapxbr.jpg

O documento foi assinado pelos GM´s: André Diamant, Evandro Barbosa, Everaldo Matsuura, Felipe El Debs, Krikor Mekhitarian, Luis Paulo Supi, Rafael Leitão e Yago Santiago. Os MI´s: César Umetsubo, Diego Di Berardino, Jefferson Pelikian, Roberto Molina e Renato Quintiliano também aderiram à causa. A APX-BR busca melhorias para o xadrez feminino e conta com o apoio das principais enxadristas do país na atualidade: MF Juliana Terao, WMI Kathiê Librelato e WMF Julia Alboredo.

Confira os principais pontos da carta aberta aos enxadristas brasileiros.

 

Críticas à Atual Gestão

“Nos últimos anos, as decisões tomadas pela entidade representante do xadrez nacional têm prejudicado a disseminação, a popularização e a profissionalização do jogo no país.

Regulamentos inconsistentes, decisões arbitrárias e falta de transparência e comunicação são apenas alguns dos problemas que temos presenciado há anos. Vemos também enxadristas enfrentando outras dificuldades, como anuidades elevadas, valores exorbitantes de inscrições para torneios e um calendário mal formulado.

Além disso, faltam incentivos ao xadrez feminino e de base, que muitas vezes têm de recorrer ao apoio da comunidade enxadrística para financiar atividades de treinamento e torneios importantes no exterior, quase sempre representando o país nessas competições internacionais”.

 

Omissão dos Mestres e Grandes Mestres

“Apesar de compartilharmos da mesma insatisfação, não podemos negar que houve também queixas da omissão dos mestres e grandes mestres em relação aos problemas no xadrez brasileiro. Algumas pessoas chegam a imaginar que essa inércia é um sinal de que a situação atual, de alguma forma, nos beneficia. Isso é algo que não poderia estar mais longe da verdade. Compreendemos, entretanto, que os enxadristas esperem uma atitude mais representativa dos melhores jogadores do Brasil, e esperamos que a presente carta também preencha essa expectativa”.

 

 União Entre Todos        

“Vale destacar aqui que a comunidade, na maioria das vezes, tem prontamente prestado essa ajuda aos nossos talentosos jogadores e jogadoras. Por isso, essa carta deve ser iniciada, antes de mais nada, firmando um compromisso com a comunidade enxadrística. Reconhecemos seu apoio e gostaríamos de contar com ele em mais este passo da caminhada”.

“… A APX nasce com o objetivo e sonho de ouvir os enxadristas, buscar melhorias para todos e ter um impacto positivo no xadrez brasileiro.
Sabemos que as demandas e os desafios serão muitos, mas que o descontentamento é um fator comum em grande parte da comunidade enxadrística. Essa será nossa maior motivação para questionar os problemas atuais, buscando esclarecimentos e soluções sempre que necessário”.

 

Mudanças Urgentes

 

1- Transparência na CBX

“Maior transparência da entidade máxima do xadrez nacional (CBX), principalmente no que diz respeito à utilização das anuidades pagas pelos milhares de filiados e a um diálogo com a comunidade enxadrística. Nos últimos tempos, vimos uma completa falta de comunicação sobre as mais variadas questões, além de mandos e desmandos que colocaram os enxadristas em último lugar na hora em que foram tomadas as mais importantes decisões. Reajuste de anuidade, Ciclo olímpico, Finais e Semifinais de Brasileiro, além do Brasileiro Amador, são apenas alguns exemplos onde isso ocorreu”.

 

2- Organização de Torneios

“Compromisso dos organizadores para com os jogadores, no que diz respeito às condições gerais dos torneios e valores de inscrição, mais uma vez reforçando que estamos falando de questões de interesse tanto do amador como do profissional. Sabemos que fazer xadrez no país não é fácil, mas estamos seguros de que, com uma entidade que defenda e represente os interesses dos jogadores, será possível um diálogo construtivo com os organizadores, conseguindo dessa maneira enxadristas mais satisfeitos com as competições, que teriam, consequentemente, maior êxito”.

 

3- Xadrez Feminino

“Trabalho em favor de um xadrez para todos e sem distinção de gênero, buscando a inclusão. Seguindo alguns exemplos em todo o mundo, sugerimos que a notável e injusta diferença de apoio entre o xadrez feminino e absoluto no Brasil seja cada vez mais encurtada, a ponto de um dia as mulheres terem todo o espaço que merecem e têm direito no xadrez em nosso país”.

Confira na íntegra a Carta Aberta aos Enxadristas Brasileiros.

 

O que falta para o xadrez brasileiro engrenar de vez? Deixe sua opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

 

 

Comments ( 3 )

  • Antonio

    Fantástica essa iniciativa, Rafael! O Brasil está cheio de talento só falta mais apoio e vontade por parte dos dirigentes do Xadrez Nacional. Parabéns!

  • Pedro Aluizio de Abreu Lobo

    Desisti da condição de árbitro CBX, porque após cumprir as condições para tornar-me árbitro Regional, paguei a taxa, fiz o requerimento e não obtendo resposta, fiz a reiteração, mas de nada adiantou. Já se passaram 2 anos e até agora nenhuma notícia da CBX a respeito desse meu pedido. Isto desanima muito. Eu arbitrava os torneios da LMX-Liga Matanhense de Xadrez e diante desta situação junto a CBX, me desanimei e parei de arbitrar torneios porque vi que pela CBX eu não iria prosperar, diante de tantas arbitrariedades entre outras que vemos os comentários no meio enxadrístico Brasileiro. A insatisfação é grande.

  • Ivan Tadeu Couto Rojas

    Parabéns pelo novo desafio. Esperemos que o xadrez nacional melhore.
    Abraços de
    Ivan Rojas

Post a Reply