Leonardo de Miranda é o Campeão Brasileiro Amador

 

“Transforma-se o amador na cousa amada,
por virtude do muito imaginar”
(Luís Vaz de Camões, poeta português)

AMADOR: adjetivo e substantivo masculino.

1. Que ou o que ama. = AMANTE.

2. O que, por gosto e não por profissão, exerce qualquer ofício ou arte.

3. Apreciador.

(in http://www.priberam.pt/dlpo/amador)

 

Embora possamos traçar várias demarcações para determinarmos quando termina uma atividade amadora e começa realmente uma prática profissional, a mais simples (e óbvia) é: o amor é o que norteia o primeiro caso. Muitas vezes, sem o devido estímulo ou recompensa, o amador possui apenas na paixão, ou melhor, no amor, o motivo para seguir adiante. Portanto, e talvez não ironicamente, a palavra “dor” esteja contida em “amador” – pois é assim, como nas palavras do poeta português, confundindo eu e objeto, que o amador se vê à mercê da “cousa” amada. Ele não pode condenar o amor que tanto o maltrata, pois esse é um reflexo de seu próprio eu (e nunca podemos colocar nosso próprio rei em xeque…).

Poéticas (e talvez piegas) divagações à parte, de 30 de abril a 03 de maio, nas dependências do excelente Clube Pinheiros, mais uma vez a cidade de São Paulo recebeu o já tradicional Campeonato Brasileiro Amador – realizado em 7 rodadas, pelo sistema suíço, e com o ritmo de 90 minutos nocaute mais acréscimo de 30 segundos por lances.

Ao que parece o caráter “Amador” ficou apenas no título – devido às boas condições oferecidas aos participantes. E que assim continue. Inclusive, desta vez, e diferente da edição anterior, o torneio foi disputado por jogadores de até 2200 FIDE (Em 2014, no Brasileiro Amador vencido por Francisco de Assis Medeiros Júnior, participou do campeonato apenas jogadores com até 2100 FIDE). De toda forma, tal “abertura” deve ter influenciado muito o número de escritos: os 168 do ano passado foram superados pelos 209 deste ano (!) – recorde de todos os tempos no certame.

Além do título em disputa, o torneio também abriu algumas vagas para a Semifinal do Brasileiro Absoluto 2015 (três vagas para os três primeiros de até 2200; três vagas para os três primeiros de até 2000). A semifinal do Brasileiro deve acontecer, em princípio, entre 30 de outubro e 2 de novembro.

Em suma, o Campeonato Brasileiro Amador deste ano foi dividido em duas categorias. Na categoria até 2000, o 1º lugar foi de Daniel Teidi Awoki (1993), com 6 pontos; seguido de Marcos Willian de Souza Ribeiro (1948), com 5,5; e o jovem CM Vitor Amorim Frois (1735), também com 5,5 – e que, provavelmente, deve ter lucrado uns bons pontos de rating (mais de 100 pontos!). Mas o grande campeão (invicto: com invejáveis 100% de aproveitamento. 7 pontos em 7 possíveis) foi Leonardo de Miranda (2111) – seguido de Rendrex Lopes Pinto (2072) e Luis Ernesto Serra Fonseca (2038), ambos com 6,0 pontos.

Ao que tudo consta, ambos os campeões, Leonardo e Daniel, Sub 2200 e Sub 2000, respectivamente, podem requisitar, junto a CBX, o “recente” (reativado em 2013) título de MN (Mestre Nacional).

Com 5,0 pontos, e a 20ª posição, a melhor no feminino foi a CM Khaterine Lemos Vescovi (1865) – honrando, portanto, o brasão familiar. Para tantos outros amadores, destaque também para o retorno da enxadrista Natália Baccarin (1940) que andava um pouco distante dos tabuleiros.

 

Site Oficial do Torneio: clique aqui.

 

Escrito por Equipe Academia de Xadrez Rafael Leitão em 05.05.2015.

 

No comments

Deixe seu comentário