Concordia, Rio de Janeiro e EUA: Muito Xadrez

Muito xadrez pelo Brasil neste final de semana – provavelmente, providência divina, para compensar o desempenho de nossa seleção brasileira de futebol.

Em Concórdia-SC tivemos o I Internacional de Xadrez de Concórdia. O torneio foi vencido pelo GM cubano, agora paraguaio (a providência divina tem dessas ironias – já não bastava o futebol…), Neuris Delgado. Neuris confirmou, portanto, a ótima fase (como demostrou no Floripa Chess Master 2015 – veja a reportagem aqui e a vitória de Neuris contra o GM Everaldo Matsuura, aqui) fazendo 6,5 pontos em 7,0 possíveis – cedendo apenas um empate frente ao compatriota GM José Cubas. Cubas terminou em 2º lugar, com 6,0 pontos, e, assim, esperamos que tenha afastado de vez a má fase dos últimos torneios.

O brasileiro melhor colocado foi o MF brasiliense Lucas Aguiar que somou 6,0 pontos e ficou com a quarta colocação – a terceira colocação foi do MI sérvio Jovan Todorovic (será que o MI Dragan Stamenkovic, que também jogou o torneio, já residente no Brasil há muito tempo e conhecido de toda a comunidade enxadrística, além de importar material enxadrístico, agora está importando os compatriotas também? Se sim, bom para o nosso xadrez!).

Destaque para a enxadrista Marciane Prior que venceu o número dois do torneio – o GM uruguaio Andrés Rodriguez (que, aliás, também foi vencido pelo MF Charles Gauche. Realmente, este foi o torneio do Paraguai e não do Uruguai…).

No Rio de Janeiro, capital, aconteceu a III Taça David Borensztajn – Aberto do Brasil. O torneio foi vencido pelo mitológico MI Eduardo Thélio Limp, com 6,0 pontos em 7,0, seguido pelo GM Darcy Lima (que fez um torneio de recuperação, já que perdeu na primeira rodada – para Marcelo dos Santos Silva) e o MI Herman Claudius Van Riemsdijk. Destaque para a jovem Kathiê Goulart Librelato que ganhou 115.6 pontos de rating(!).

Por fim, em Washington, EUA, o MF Renato Quintiliano e os GMs Felipe El Debs e Krikor Mekhitariam, disputam o DC International 2015 – que está servindo como aquecimento para o fortíssimo 43º World Open 2015 (que começa amanhã, na cidadezinha de Arlington). MF Quintiliano puxa a fila dos brasileiros após 8 rodadas: é o 21º com 5,0 pontos; El Debs o 31º com 4,5 e Krikor o 52º com 4,0. Apesar do torneio ruim, Krikor não deixa de interagir com seus fãs em sua página pessoal no Facebook – mostrando o motivo de ser tão admirado. Aliás, apesar de tudo, a próxima partida, para ele, tem um gosto especial: é a de número 2.000 na carreira(!):

“Chegamos na penúltima rodada aqui em Washington e o torneio segue de mal a pior, ontem empatei as duas – com o MI nigeriano Odion Aikhoje (2274) e o local David Hua (2319). Hoje perdi do CM local Kapil Chandran (2257). Tenho 4 em 8, fazendo partidas bem ruins e perdendo 30 pontos de rating, uma grande decepção nessa estreia nos Estados Unidos, infelizmente adiando o plano de bater a marca dos 2600, que pela primeira vez parecia muito próximo pra mim. O jeito é respirar hoje, tentar retomar o foco a todo custo amanhã na última rodada, pra fazer uma partida acima de tudo consistente e conquistar de volta um pouco da confiança pra chegar na parte boa: começar o World Open na quarta-feira com a cabeça nova e jogar um torneio zerado, com 9 rodadas pela frente. Conto com a torcida de todos em mais esse desafio. Coincidentemente a partida de amanhã [no caso, hoje, para nós] tem outro significado especial, é a de número 2.000 na minha carreira (a primeira oficial foi no ano de 1997)”.

Reveja a entrevista que o Krikor concedeu ao GM Rafael Leitão no início de maio de 2015, na qual eles falaram sobre a meta de 2600 e dos torneios dos Estados Unidos (clique aqui).

Seguimos na torcida dos eventuais próximos torneios – aqui ou fora do Brasil.

 

ChessResults: I Internacional de Xadrez de Concórdia,  III Taça David Borensztajn e DC International 2015.

Fotos: Revista Meio Jogo, Xadrez do Brasil e Facebook.

 

Escrito por Equipe Academia de Xadrez Rafael Leitão 30.06.2015.

No comments

Deixe seu comentário