Copa do Mundo – Tromso 2013 (Parte I)

Finalizada a participação brasileira na Copa do Mundo 2013, disputada em Tromso-NOR, é hora de escrever algumas linhas sobre o torneio e minhas impressões durante os 12 dias que por lá fiquei.

Tromso será a sede da próxima Olimpíada de Xadrez, portanto eu esperava um alto nível de organização. Ainda mais com as fábulas que escutamos sobre o impecável padrão de vida dos países nórdicos. A expectativa era nada menos que um hotel espetacular, com excelente comida, incluindo salmão à vontade, cervejas nórdicas geladas e baratas, bem como uma atrativa cidade com vários pontos turísticos a conhecer. Bom, a parte do salmão se concretizou!

O hotel, em uma rodovia afastada cerca de 5km do centro da cidade, é excelente para mochileiros, mas insuficiente para os padrões de uma Copa do Mundo de Xadrez, com os melhores jogadores do mundo. Uma pena, pois não é uma questão simplesmente de conforto, mas de imagem. Se queremos atrair a atenção para o xadrez, precisamos oferecer condições de primeira classe e mostrar ao público que a profissão de enxadrista compensa.

Também surpreendente são os preços na Noruega. Ainda que eu tivesse sido avisado de que viajaria para o país mais caro do mundo, uma Heineken no hotel custar 15 dólares excedeu todas as minhas expectativas. O jeito era comprar salmão no mercado (uma das poucas coisas baratas!) e levar para o quarto, matando por alguns anos a vontade de comer sashimis no Brasil.

Mas vamos ao xadrez! Jogar a Copa do Mundo é uma situação especial. Apenas em Olimpíadas é possível sentir a mesma sensação, o mesmo frio da barriga, a mesma vontade de se superar contra os melhores do mundo. Infelizmente, jogando torneios na América do Sul é impossível enfrentar e observar enxadristas de tamanho gabarito. E sim, observando também se aprende! Como se comportam super GMs nos apuros de tempo? Jogam rápido ou pensam na abertura? Ficam sentados o tempo todo ou se levantam? Olhar tudo isso serve como aprendizado.

O meu match com Inarkiev foi dramático. Na primeira partida, surpreendido logo no lance 1 (!), quando ao invés de seu costumeiro 1.e4 Ernesto escolheu 1.c4!, resolvi improvisar e jogar uma Ortodoxa. A ideia rendeu, pois aparentemente a posição sólida que se seguir era mais adequada ao meu estilo. Rapidamente consegui uma posição superior e chances de vitória sem qualquer risco, mas a partida terminou em empate. Veja as partidas neste link.

Na segunda partida, não consegui aproveitar as brancas e empatamos rapidamente. A emoção estava reservada para o tie-break. Durante a noite, analisei brevemente a abertura da primeira partida das rápidas (25 minutos com 10 segundos de acréscimo). A ideia com 12.Ce5!? é nova. Por alguma razão o computador considerava 12…Cxe5 como forçada, mas quando meu adversário escolheu 12…Cf6? seguido de 13…c5, parecia perfeitamente lógico, até que vi 14.Bh5!! Confesso que os batimentos cardíacos aceleraram consideravelmente quando isso ocorreu de fato na partida. Depois me compliquei, mas a posição dele sempre permaneceu difícil e consegui uma boa vitória.

Precisando apenas de um empate na partida seguinte, escolhi a Caro-Kann. 14…Be7 foi um lance que usei com sucesso por volta de 2003 e, por falta de coisa melhor, resolvi desenterrá-lo. Não sei se Ernesto tinha isso preparado, mas ele jogou muito bem com 16.Cc3!?, conseguindo certa vantagem. Infelizmente, em uma posição um pouco inferior, mas ainda com muita luta, cometi o fatal erro tático 23…Td8??, punido sem piedade com o bonito 24.Cc6! – facílimo de ver com o Houdini ligado e tomando um cafezinho, mas digamos que lá no salão de jogos o lance nem passou pela minha cabeça.

Joguei mal minha partida seguinte de brancas (10 minutos com 10 segundos de acréscimo). Também havia analisado rapidamente essa abertura na noite anterior e me pareceu que o plano iniciado com 10.b4! dava vantagem. Ainda acredito nisso, mas parece que 12.Dxa4 seria melhor. A partida terminou em empate.

A partida decisiva foi um capítulo à parte. Decidido, para o bem e para o mal, em não jogar mais essas estressantes partidas rápidas, fui para o tudo ou nada, mesmo de pretas. Nesses ritmos acelerados, as cores não pesam tanto. Pesando ou não pesando, fiquei totalmente perdido. Estava prestes a cumprimentar meu adversário pela vitória no match quando resolvi jogar 37…f4, antes de abandonar. O tamanho da vantagem dele, indicada pelo computador no site oficial, já é lendário. Uns dizem 10 pontos, outros 14, outros afirmam que a vantagem chegou a 17 pontos do computador. Enfim, o fato é que depois de 40…Ce4 a coisa não estava mais fácil pra ele, sem falar que estávamos jogando apenas com o acréscimo. O meu grande feito foi mudar a mentalidade e começar a jogar para ganhar. Certamente uma das vitórias mais dramáticas e emocionantes da minha carreira.

No próximo post, tudo sobre meu match com o carismático Alexander Morozevich.

0 Respostas a “Copa do Mundo – Tromso 2013 (Parte I)”

  • Anônimo

    Parabéns meu caro. Muito bom.Conte com os amigos.AbsProf. Ivan Tadeu - PUC-SP

  • Vale Jr

    Muito bom ! Eu acompanhei daqui e valeu pela força.

  • Hugo Eustáquio

    Muito bem, parabéns por sua participação. Uma de suas partidas foi analisada no chess.com, segue o link:http://www.chess.com/article/view/blunders-in-modern-play-part-1

  • Rivail Martinez

    Valeu Leitão por representar o Brasil, eu sei como deve ser difícil sem nenhum apoio, infelizmente o Brasil quanto governo muitas vezes esquece de seus filhos, mas nós brasileiros não!,assistimos suas partidas e torcemos muito, e continuaremos a torcer!Boa sorte aonde quer que vc for representar os Brasileiros! Abs

  • John Jones

    Qual a importancia de se falar outros idiomas para se tornar um enxadrista proficional? Kasparov botou no twitter que o mach do Carlsen e Anand vai ser um dos poucos em que os dois oponentes não são fluentes em russo, no caso so o carlsen não fala russo!

  • André Fernandes

    Boa noite, o site Xadrez Brasileiro acaba de disponibilizar um novo widget. Através dele o seu blog poderá exibir as últimas atualizações dos melhores blogs de xadrez do Brasil.Veja mais em: www.xadrezbrasileiro.com/widget

Deixe seu comentário