A Força dos Peões no Xadrez

Os peões são a alma do xadrez” – André Philidor.

 

Uma das partidas mais interessantes do Campeonato Europeu 2016 demonstrou que a máxima de Phillidor (um dos maiores gênios da história da humanidade e disparado o melhor jogador do mundo em sua época) é mais do que apenas um jogo de palavras. Naturalmente, conhecemos inúmeros casos que demonstram a força de um peão passado, mas neste artigo vou destacar a força avassaladora de uma estrutura de peões, que nestes exemplos se assemelha a uma avalanche. 

 

Exemplo do Campeonato Europeu 2016

Vejamos, então, a partida Goganov x Najer, uma obra-prima com algumas imperfeições, mas com ideias profundas e um arremate de singela beleza. Para reproduzir a partida no tabuleiro, clique no lance. Na versão pc, o tabuleiro é ajustável nas setas laterais.

 

 

 

 

Boas lembranças

A partida me fez relembrar bons momentos ocorridos no longínquo ano de 2000 (lembrança seletiva, evidentemente, já que também perdi varias vezes graças aos peões do meu adversário). O meu exemplo nem de longe tem a beleza e profundidade da vitória de Goganov, mas ainda assim serve para ilustrar uma massa de peões assustadora.

 

 

 

Dicas finais:

 

  • Observe sempre a estrutura de peões. Avalie a possibilidade de sacrifícios para mobilizar uma massa de peões;
  • Reveja suas partidas de tempos em tempos. Você poderá descobrir novas ideias que mudam sua percepção do que ocorreu;
  • Veja as partidas do Phillidor. No mínimo será útil pela parte histórica. E todo bom jogador deve conhecer os clássicos.

 

Gostou deste artigo? Então complemente seus estudos com a palestra “A Força do Peão Passado”

 

Escrito por Rafael Leitão em 15.06.2016

No comments

Deixe seu comentário