Dicas Para a Escolha de Um Jogador Modelo

A maioria dos enxadristas treina aberturas do jeito errado e dá uma importância exagerada ao estudo dessa fase do jogo, que é fundamental para jogadores titulados (acima de 2300 pontos de rating). Isso dito, é preciso  entender que todo jogador, mesmo aquele que tem um rating bem menor do que 2300, precisa ter um repertório de aberturas definido e conhecer partidas modelo das variantes escolhidas. 

 

Está sem tempo para ler o artigo? Escute a versão em áudio!

 

É nesse contexto que cabe o conceito de “Jogador Modelo”. Você não precisa querer reinventar a roda. Escolha um jogador forte, de acordo com seu estilo de jogo, e estude suas aberturas. Quanto mais partidas desse jogador você analisar, mais conhecerá sua forma de pensar e mais fácil será entender e jogar a variante escolhida.

 

Qual Jogador Escolher?

Isso vai depender do nível do seu jogo. Se você tem menos de 1500 pontos de rating, você não tem um estilo de jogo definido. Então você deve jogar aberturas clássicas e agressivas. A ideia é desenvolver o cálculo o mais rápido possível. Nesse caso, Paul Keres e Bobby Fischer, por exemplo, são excelentes jogadores modelo. Quem tem uma força de jogo superior, mas também gosta de jogar posições clássicas e agressivas, pode se inspirar no repertório desses dois grandes enxadristas.

 

Grandes enxadristas reunidos

Paul Keres e Bobby Fischer são dois ótimos jogadores modelos. Na foto, Pal Benko assiste à partida

 

Por outro lado, quem prefere variantes posicionais pode usar Tigran Petrosian, Anatoly Karpov ou Vladimir Kramnik como modelo de jogo. Se você desejar ter um repertório super agressivo, Maxime Vachier-Lagrave e Garry Kasparov são excelentes opções. Também é possível buscar um repertório criativo, sem entrar nas linhas principais, esse é o caso de algumas aberturas de Richard Rapport e Alexander Morozevich. 

 

Enxadrista Clássico ou Atual?

Ao escolher um jogador modelo, o enxadrista não precisa copiar todas as suas variantes. A ideia é pegar apenas a estrutura do repertório, já que a teoria de aberturas evoluiu e quando se escolhe um enxadrista clássico, de décadas atrás, é preciso atualizar o repertório com ideias atuais para evitar possíveis variantes refutadas. Por outro lado, em geral, os enxadristas clássicos têm um jogo mais fácil de entender.

 

Livros de Partidas

Se você continua com dúvidas sobre a escolha de um jogador modelo, estude um livro de partidas de algum jogador forte. Veja todas as partidas e preste atenção ao repertório de aberturas do jogador. Bobby Fischer (Minhas 60 melhores partidas), Garry Kasparov (Teste do Tempo), Smyslov (Partidas Selecionadas), são livros excelentes e traduzidos para o português.  Esses são apenas alguns ótimos exemplos de como você pode definir um jogador modelo com os livros.

 

O Teste do Tempo

 

Com apresentação escrita pelo GM Rafael Leitão, “O Teste do Tempo” é um bom livro para seguir Kasparov como jogador modelo

 

Por Que Não Escolher Carlsen Como Modelo?

Magnus Carlsen é o atual campeão mundial e um dos melhores enxadristas de todos os tempos. No entanto, talvez você tenha problemas para seguir seu repertório. Carlsen varia muito suas aberturas e isso pode dificultar o trabalho. A sugestão para os fãs de Carlsen é: escolha outro jogador modelo e verifique se Carlsen já jogou alguma partida nas variantes escolhidas. Incorporar as ideias do campeão mundial será de bom proveito.

 

Qual é o seu jogador modelo preferido? Deixe sua opinião nos comentários.

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Ferreira da Cruz e editado pelo GM Rafael Leitão.

No comments

Deixe seu comentário