Mundial de Rápido e Blitz 2021

    Mundial de Rápido e Blitz 2021: Abdusattorov e Vachier-Lagrave!

     

    O Campeonato Mundial de Rápido e Blitz terminou no último dia 30/12, na Polônia, com as surpreendentes vitórias de Nodirbek Abdusattorov (Rápido) e Maxime Vachier-Lagrave (Blitz). Confira todos os detalhes a seguir.

    Mundial de Rápido

     

    Vitória histórica: Abdusattorv x Carlsen

     

    Abdusattorov, do Uzbequistão, é um prodígio de 17 anos que recentemente venceu dois torneios clássicos na Espanha: Castelldefels e Sitges. Curiosamente, os dois triunfos se confirmaram nos desempates em partidas rápidas.

    Quando chegou à Polônia, Abdusattorov era apenas o 59º da lista inicial, bem distante dos favoritos. Porém, após vencer o Campeão Mundial – Magnus Carlsen – e o último desafiante, Ian Nepomniachtchi, o título de Abdusattorov tornou-se indiscutível.

    É óbvio que um título deste tamanho não acontece do dia para a noite. Abdusattorov foi campeão mundial sub 8; aos 11 anos era o mais jovem da história no top 100 sub 20; aos 13 se tornou o segundo Grande Mestre mais novo de todos os tempos. E, ao que parece, sua progressão segue firme rumo à elite.

    Classificação após 13 rodadas:

    1. Abdusattorov 9.5
    2. Nepomniachtchi 9.5
    3. Carlsen 9.5
    4. Caruana 9.5
    5. Duda 9.0
    6. Aronian 9.0
    7. Nakamura 9.0
    8. Mamedyarov 9.0
    9. Gukesh 9.0
    10. Rapport 9.0

    *Os dois primeiros colocados jogaram um match final com vitória do enxadrista do Uzbequistão.

    O GM Darcy Lima foi o único brasileiro na competição: 150º posição, com 5,0 pontos.

    No feminino, vitória da russa Alexandra Kosteniuk, seguida por Bibisara Assaubayeva (Cazaquistão) e Valentina Gunina (Rússia).

    Cibele Florencio da Silva e Renee Blandy Brambilla foram as brasileiras no Mundial Feminino de Rápido (99ª e 100ª colocação entre as 102 participantes).

     

    Mundial de Blitz

    Após um decepcionante (para os padrões dele) terceiro lugar no Mundial de Rápido e a perda da tríplice coroa (clássico, rápido e blitz), esperava-se que Magnus Carlsen viesse com toda a força no blitz. O campeão mundial, entretanto, não jogou bem e ficou apenas na 12ª colocação, com 6 derrotas em 21 rodadas.

    Outro favorito era Hikaru Nakamura, mas Naka testou positivo para COVID ao final do primeiro dia de blitz e não continuou no torneio.

    Por outro lado, o francês Maxime Vachier-Lagrave teve um início com pouco brilho, mas recuperou-se no segundo dia para conquistar o título. Vachier-Lagrave venceu o polonês Jan-Krzysztof Duda nos desempates (2×1) para assegurar o primeiro lugar.

    Alireza Firouzja (França) era um dos favoritos e terminou na terceira colocação.

    Daniil Dubov (Rússia) e Levon Aronian (agora com a bandeira dos Estados Unidos) dominaram boa parte da competição, mas caíram nas rodadas finais, finalizando na 4ª e 5ª colocação.

    Classificação após 21 rodadas:

    1. Vachier-Lagrave 15.0
    2. Duda 15.0
    3. Firouzja 15.0
    4. Dubov 14.5
    5. Aronian 14.0
    6. Mamedyarov 14.0
    7. Artemiev 14.0
    8. Sindarov 13.5
    9. Fedoseev 13.5
    10. Oparin 13.5

    O GM Darcy Lima fez 8 pontos e terminou na 162ª posição.

    No feminino, pódio idêntico ao Mundial de Rápido, porém, com alteração nas colocações: Assaubayeva campeã, Kosteuniuk vice-campeã e Gunina com o broinze.

    Cibele Florencio da Silva e Renne Brambilla terminaram nas 103ª e 104ª colocação entre 105 jogadoras.

     

    Quem é o maior jogador de blitz de todos os tempos? Deixe sua opinião nos comentários.

    Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

    Texto escrito pelo MF William Ferreira da Cruz.

    Imagens: Site Oficial

    One Reply to “Mundial de Rápido e Blitz 2021”

    • Ramiro Azevedo

      Não poderiam ser melhores os modelos, estratégias, táticas etc., levando-se em conta o tempo de televisão ( objetividade, público heterogêneo, patrocinadores etc. ).A linguagem de Rafael é informal, os significantes empregados são populares etc. Só não concordo com Rafael quanto ao julgamentos e apreciações sobre a trindade genial: Lasker, Capablanca e Alekhine ( criaram sistemas, aberturas, desbravaram sem computadores ( além de não disporem de equipes de retaguarda) . Fischer, Kasparov, Carlsen são produtos da 4a Revolução Industrial ( o trio genial não dispôs de ricos patrocinadores ! ) Um abraço e lembranças a minha atenciosa ex-aluna, Márcia. Parabéns !

    Deixe seu comentário

      [class^="wpforms-"]
      [class^="wpforms-"]