Começa o Norway Chess 2015

Começou ontem, dia 15, e vai até o dia 26 deste mês, em Stavanger, o Norway Chess 2015 – ou, para os íntimos, Xadrez Noruega 2015. O evento, que acontece pela terceira vez, é o primeiro de uma série de super torneios (que formarão o Grande Chess Tour): além deste, teremos a Sinquefield Cup e o tradicional London Chess Classic.

Participarão da competição nove dos melhores jogadores do mundo: Viswanathan Anand, Fabiano Caruana, Alexander Grischuk, Hikaru Nakamura, Levon Aronian, Anish Giri, Maxime Vachier-Lagrave, Jon Ludvig Hammer (que venceu um torneio de classificação para o Norway no mês passado), Veselin Topalov e, claro, o norueguês, e Campeão Mundial, Magnus Carlsen.

NORWAY CHESS

 

Algumas sentidas ausências são a de Vladimir Kramnik e Wesley So. Ambos se recusaram a participar devido a um compromisso firmado anteriormente com Dortmund – torneio que começa no dia 27 (embora Caruana esteja participando de ambos, Kramnik e So, em nota, disseram que as datas dos torneios estavam próximas demais). Outra notável ausência é a do vencedor das duas edições anteriores do Norway Chess, Sergey Karjakin.

Karjakin não será capaz de defender seu título, pois acabou não sendo convidado para jogar o Grande Chess Tour (que só convidou os Top-10 do mundo na lista de Janeiro de 2015). Karjakin até foi, sim, convidado para jogar, mas o evento de classificação. Evidentemente, ele recusou – sem deixar de observar que acreditava possuir o direito de jogar sem ter que “ganhar” uma qualificação (o que faz certo sentido, já que em diversos torneios o Campeão anterior é automaticamente classificado para a edição do ano seguinte).

Mas, enfim, as festividades já começaram. E com novidades: um grande torneio blitz (ritmo de 3 minutos e com acréscimo de 2 segundos por lance) foi realizado para definir os emparceiramentos. Ao que parece, essa é uma novidade para torneios deste nível (ou de qualquer nível). De toda forma, já tivemos algumas surpresas nesta “prévia”: Maxime Vachier-Lagrave foi o campeão com 6,5 pontos (em 9,0 possíveis), seguido de Hikaru Nakamura (6,0) e Magnus Carlsen (5,5) – jogar em casa deve ter lá suas pressões. O restante da tabela seguiu com Giri (5,5); Anand (5,5); Aronian (5,0); Grischuk (4,0); Topalov (3,0); Caruana (2,5) e Hammer (1,5).

bbb norway chess

Mas, com certeza, não é simplesmente a maneira como o Norway Chess 2015 resolveu decidir o emparceiramento que chamou a atenção: além de duas equipes de cobertura (uma in loco e outra… Em Saint Louis, Missouri, EUA!), teremos um ambiente (como definir isso?) chamado “confession box”, ou “caixa da confissão”, exterior ao salão de jogos, onde os jogadores serão capazes de falar na frente de uma câmera… Durante as partidas!  Isso mesmo: se você, prezado leitor da Academia, pensou nesta tal de “confession box” como um tipo de “confessionário” e imaginou o Pedro Bial dizendo “Vem, Anand, vem viver esse sonho aqui fora!”, fique tranquilo – a culpa não é sua e, com certeza, você não foi o único!

Ao que parece, nenhum dos jogadores fora da caixa serão capazes de ouvir o que se passa dentro dela – e nem mesmo os jogadores que entrarão lá terão interação com outras pessoas (de acordo com o principal organizador, Joran “JJ” Aulin-Jansson, isso é completamente legal, conforme as regras do xadrez – embora, cá entre nós, copiar formato de programas de TV, não). Por fim: o uso da caixa de confissão será, evidentemente, voluntária (mas, caso aconteça alguma votação, de antemão, votamos para que o Nakamura deixe a Casa).

Estamos de olho!

 

Site Oficial: aqui

Fonte e algumas fotos: Chessbase.

 

Escrito por Equipe Academia de Xadrez Rafael Leitão 16.06.2015.

 

 

•  Links relacionados:

Norway Chess 2015: “Há Algo de Podre no Reino da Noruega” – Parte II.

Norway Chess 2015: “Há Algo de Podre no Reino da Noruega” – Parte I.

No comments

Deixe seu comentário