Mais Uma Vez Julio Granda: O Sonho Não Acabou?

 

Lá pelo final dos anos 80 (mais especificamente em 1986 e no tradicional Magistral Capablanca, em Cuba), Julio Esnesto Granda Zuñiga, ou simplesmente Júlio Granda, tornava-se o primeiro jogador peruano a conquistar o título máximo do xadrez.

 

O “Mister Continental” (como é mais conhecido aqui nos corredores da Redação d´Academia devido aos inúmeros títulos que Granda já ganhou nesse tipo de evento), após uma atuação de destruidora no V Internacional Llucmajor, na Espanha, em maio deste ano, ficou a apenas um ponto de romper os 2700. Entretanto, uma série de torneios ruins afastou este feito histórico do lutador Grande Mestre Peruano de 49 anos. Mas, quem sabe, apesar da queda brusca de rating (Granda está, hoje, por volta dos 2648) o sonho ainda venha a se tornar realidade? É a impressão que nos dá o resultado do Quadrangular M 2016, disputado recentemente no México.

 

granda2

 

Entre 28 e 30 de Outubro se disputou o Quadrangular da Universidade Autônoma do México (partidas rápidas) – parte do evento “Encuentro con el Ajedrez Educativo UNAM 2016” e que contou com diversas outras atividades. Não só esportivas, mas, também culturais e acadêmicas, como peças de teatro; oficinas; palestras; conferências; etc. – aliás, uma das falas mais aguardadas foi a de ninguém menos que a do eterno Campeão Mundial Garry Kasparov.

 

De toda forma, além de nosso veterano Julio Granda (2648), tivemos o GM cubano Leinier Dominguez (2720); o GM venezuelano Eduardo Iturrizaga (2658); e o GM mexicano Gilberto Hernandez Guerrero (2494).

 

E o GM cubano Leinier Dominguez, com seus 2700, apesar do favoritismo, não conseguiu resistir ao jovial Granda. No encontro entre eles, 1,5 a 0,5 para Granda. A vitória do GM peruana foi uma amostra típica do seu estilo: abertura pouco teórica (feia até), mas muito dinâmica. Clique aqui e veja as análises do GM Rafael Leitão para esta partida.

 

Na final Granda enfrentou o talento, e perigoso, GM venezuelano Eduardo Iturrizaga. Num emocionante encontro, a vitalidade de Granda causou inveja ao seu jovem adversário. Nas cinco partidas jogadas entre eles, as vitórias iam se alternando até sair a última, de negras, no tie-break, para Granda. 3 x 2 para o Grande Mestre Peruano.

 

A vitória de Granda só reforça o fato de, ainda hoje, aos quase 50 anos, ele ser um dos mais fortes, se não o mais forte, jogador da América do Sul. Será que ainda veremos o guerreiro peruano ultrapassando a barreira dos 2700? Seria épico.

 

FONTES:

SiteOficial

 

Escrito por Equipe Academia de Xadrez Rafael Leitão 06.11.2016

No comments

Deixe seu comentário