Grandes Enxadristas: Ulf Andersson, O Gênio Posicional

Grandes Enxadristas: Ulf Andersson, O Gênio Posicional

Fazer o adversário sofrer. Esse é um conceito com várias interpretações no xadrez. Para alguns é a arte de sacrificar peças, atacar. Já para outros é a habilidade de acumular vantagens posicionais quase imperceptíveis para, a longo prazo, colher os frutos dessas debilidades.

 

Está sem tempo para ler? Escute a versão em áudio do artigo!

Sem dúvida, Ulf Andersson é um dos melhores nesse segundo quesito. A visão profilática e a habilidade em conduzir os finais do enxadrista sueco é comparável aos melhores de todos os tempos.

Ulf na juventude

 

Início

Ulf Andersson nasceu em 1951, venceu o Campeonato Sueco em 1969 e tornou-se Mestre Internacional em 1970. Nesse mesmo ano entrou pela primeira vez no Top 100 do ranking FIDE com 2480 pontos de rating.

Ainda em 1970, Ulf jogou sua primeira Olimpíada de Xadrez. O enxadrista já começou no primeiro tabuleiro da Suécia, fato que se repetiu por outras 14 vezes até 2004, quando jogou sua última Olimpíada no tabuleiro dois. Destaque para a edição de 1978, quando conquistou a medalha de bronze individual.

Em 1972, Andersson conquistou o título de Grande Mestre. Quatro anos mais tarde, disputou o seu primeiro Torneio Interzonal (Biel 1976), e acabou na oitava colocação.

[Veja uma grande partida Ulf Andersson]

 

Apogeu

Em 1982, Ulf apareceu pela primeira vez no TOP 10 do mundo. No Interzonal de Moscou do mesmo ano, compartilhou a terceira colocação com Mikhail Tal, meio ponto atrás de Alexander Beliavsky e dois pontos atrás de Garry Kasparov.

Apenas os dois primeiros se classificaram para o Torneio de Candidatos, porém, Ulf e Tal jogaram um match pelo terceiro lugar e por uma “vaga reserva” no Candidatos. O match terminou empatado, 3×3, e Tal ficou em terceiro pelos critérios de desempate.

No ano seguinte, Ulf Andersson ocupou a quarta colocação no ranking da FIDE com 2640 pontos, atrás apenas de Anatoly Karpov (2710), Garry Kasparov (2690) e  Ljubomir Ljubojevic (2645).

No match U.R.S.S X Resto do Mundo – 1984, Ulf representou a equipe do Resto no Mundo no primeiro tabuleiro. No seu confronto individual, o sueco perdeu para Anatoly Karpov por 2,5 x 1,5.

 

Ulf x Karpov

 

Ausência nos Candidatos

Infelizmente, Andersson nunca se classificou para um match de Candidatos. Nos interzonais seguintes o enxadrista bateu na trave e ficou de fora: 9ª posição em Biel – 1985, um ponto a menos de Nigel Short, o último classificado, e a 6ª colocação na Hungria, em 1987.

Apesar das eliminações, o enxadrista se manteve no TOP 10 do mundo, ou muito próximo disso, até meados dos anos 1990.

 

Torneios Abertos

Entre suas grandes vitórias em torneios abertos, destaque para Hastings 1978/1979; Phillips & Drew 1982, empatado com Karpov;  Torino 1982, 1 ponto na frente de Karpov; Wijk aan Zee 1983, Roma 1985 e 1986, entre outros.

Curiosamente, nos anos 2000 Ulf Andersson também se tornou Grande Mestre em xadrez por correspondência.

 

Já estudou alguma partida desse incrível enxadrista? Conte nos comentários.

 

Aproveite e compartilhe o artigo nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Ferreira da Cruz

One Reply to “Grandes Enxadristas: Ulf Andersson, O Gênio Posicional”

  • Wágner da Silva Tôrres

    Esteve em João Pessoa, em fevereiro de 1999, para jogar uma simultânea. Pessoa simples e afável, atendia a todos sem reservas, diante do tabuleiro sua personalidade mudava. Um verdadeiro gigante.

Deixe seu comentário