Grandes Torneios da História: Interzonal Petrópolis 1973

Embora na década de 1970 o enxadrismo encontrasse hegemonia principalmente soviética, foi no torneiro Interzonal Petrópolis 1973 que o Brasil viu um de seus maiores enxadristas sagrar-se campeão: Henrique da Costa Mecking, o famoso Mequinho, conseguia o título em disputa histórica para o xadrez nacional. Considerado um torneio mítico, esse Interzonal é um dos torneios de xadrez mais famosos da época.

Continue lendo o artigo de hoje e conheça a história por trás da disputa do Interzonal Petrópolis 1973 e qual foi a sua importância para o país!

 

Como Funcionou o Torneio

O Interzonal Petrópolis 1973 foi uma competição realizada na cidade de Petrópolis, responsável por fazer com que o Brasil começasse a despertar para o enxadrismo mundial. Participaram do torneio 18 enxadristas de todas as nacionalidades — e dentre eles estava Vasily Smyslov, ex-campeão mundial. Como era de praxe, todos jogavam contra todos, totalizando 17 partidas para cada jogador.

Em uma disputa bastante equilibrada, o brasileiro Henrique da Costa Mecking, o Mequinho, conquistou 12 dos 17 pontos possíveis e sagrou-se campeão do torneio. A vitória de Mequinho foi conseguida com 7 vitórias e 10 empates e sua liderança foi isolada, já que o segundo, o terceiro e o quarto lugares conseguiram fazer apenas 11,5 pontos.

 

A Importância do Torneio

A importância do Interzonal Petrópolis 1973 reside principalmente no fato de que a competição garantia vagas para participar do Torneio de Candidatos, no qual eram travados matches em busca de conquistar o título de campeão mundial. À época, o campeão era o lendário Bobby Fischer, e ter a chance de disputar um título com esse enxadrista tão ilustre era o objetivo de muitos jogadores.

Para o xadrez brasileiro, esse torneio foi muito importante por ter reunido grandes nomes do xadrez mundial e fez com que Petrópolis fosse considerada a capital do xadrez no país. Além disso, o Interzonal de 1973 também fez com que Mequinho surgisse como um dos grandes nomes do xadrez mundial.

 

O Título de Mequinho

Além de o triunfo de Mequinho ter garantido a ele a chance de participar do Torneio de Candidatos, seu título teve impactos muito mais profundos. Com a vitória e tudo que dela se sucedeu, ele se tornou o maior enxadrista do Brasil, além de criar uma consciência maior sobre o esporte no país.

Mequinho, então, participou do Torneio de Candidatos em 1974 e 1977 – este último, graças à vitória no Interzonal de Manila, em 1976. Nas duas ocasiões Mequinho foi eliminado no match inicial, por Viktor Korchnoi e por Lev Polugaevsky, respectivamente. Mesmo assim, em 1977 ele já era o terceiro maior enxadrista de todo o mundo, perdendo apenas para Anatoly Karpov e Viktor Korchnoi, respectivamente campeão e vice-campeão mundiais.

O Interzonal Petrópolis de 1973 foi um torneio com grande importância para o enxadrismo brasileiro, porque serviu para alçar Henrique da Costa Mecking ao posto de um dos maiores enxadristas do mundo. Além disso, também é considerado até hoje um dos torneios de xadrez mais importantes do país. Você já conhecia a história desse torneio? O que achou? Conte para a gente nos comentários!

6 Respostas a “Grandes Torneios da História: Interzonal Petrópolis 1973”

  • Gustavo Brandão Messenberg

    Mais uma vez parabéns pelo texto que evidencia a importância do Interzonal de Petrópolis 1973 para o xadrez no Brasil. Henrique Mecking foi o merecido vencedor desse evento. Todavia houve um fato triste que antecedeu o evento e frustrou a participação de Leonid Stein que naquela época pelo seu notável currículo, pelo seu enorme talento e também pela sua inquestionável força enxadrística era considerado o favorito inclusive para se tornar desafiante de Bobby Fischer. Leonid Stein faleceu às vésperas do embarque para o Brasil em julho de 1973. Quem substituiu Leonid Stein nesse Interzonal foi David Bronstein. Vale lembrar a partida de Bronstein contra Ljubojevic tanto pela beleza da mesma como pelo fato de que Ljubojevic liderava o Interzonal até perder para Bronstein. Após essa derrota, talvez impactado, na sequência perdeu a liderança e não se classificou para o Torneio de Candidatos desse ciclo. Nessa memorável partida, Bronstein de brancas contra uma defesa Alekhine, sacrifica torre inteira e ganha o jogo. E também que Henrique Mecking venceu o torneio na última rodada após Polugaevsky bater Portisch. Se Portisch tivesse batido Polugaevsky quem ganharia o evento seria Lajos Portisch. Classificaram-se nesse Interzonal Henrique Mecking, Portisch e Polugaevsky. No outro Interzonal realizado à mesma época em Leningrado classificaram-se Korchnoi, Karpov e Byrne. Os outros classificados eram SpassKy (ex-campeão mundial) e Petrosian (finalista do ciclo anterior de Candidatos). Para finalizar, gostaria de dizer que lembro-me de ter lido uma vez em algum lugar uma declaração do GM Eduard Gufeld (co-autor com Efim Lazarev de uma biografia de Stein intitulada "La Estratégia del Risco"): "Naquela época Karpov era muito bom, mas Stein era melhor!"

  • Geraldo J F

    Bem importante e oportuna essa lembrança...
    Um Torneio que estimulou nova visão e empuxo ao Xadrez no Brasil.
    A Vitória de um brasileiro que se tornou o 3º do Mundo na época, não é nada de se desconsiderar, sendo respeitado ainda, uai!
    Os frutos ainda continuam brotando, embora precisando de uma revigorada, de um apoio consistente, hein?!

  • Gilberto

    Vasily Smyslov vs Henrique Mecking
    "Mecking the Most of It" (game of the day Sep-21-2007)
    Petropolis Interzonal (1973), Petropolis BRA, rd 11, Aug-07
    English Opening: King's English. Four Knights Variation Fianchetto Lines (A29) · 0-1

    Acabei de analisar, sugiro o mesmo para qualquer um que veja este artigo, esta é a melhor mais importante partida deste torneio para mequinho!

    1. c4 e5 2. Nc3 Nf6 3. Nf3 Nc6 4. g3 Bb4 5. Bg2 O-O 6. Nd5 e4 7. Nh4 Bc5 8. O-O Re8 9. d3 ed3 10. Qd3 Ne5 11. Qc2 c6 12. Nc3 Nc4 13. Na4 Bf8 14. Qc4 b5 15. Qd4 ba4 16. e4 Ba6 17. Re1 Qb6 18. Be3 Bb4 19. Qb6 ab6 20. Red1 Be2 21. Rd4 c5 22. Rb4 cb4 23. e5 Ng4 24. Ba8 Ne3 25. Re1 Bc4 26. Be4 Nd5 27. a3 ba3 28. ba3 Nc3 29. Bf3 f6 30. Rc1 Re5 31. Kg2 Rc5 32. Rc3 Bf1 33. Kf1 Rc3 34. Bd5 Kf8 35. Ke2 Ra3 36. Kd2 b5 37. Nf5 b4 38. Ne3 b3 39. Kc3 Ra2 40. Kb4 Rf2 41. Ka4 b2 42. Ba2 Rh2 43. Kb3 Rh3 44. Nf1 Rh1 45. Nd2 Rg1

  • Gilberto

    Talvez Smylov teria chance de empate em

    (-0.93)19.Qxf6 gxf6 20.Bxb6 Bxe1 21.Bd4 Bb4 22.a3 Bd6 23.Rd1 , mas teria que jogar perfeitamente...

  • Moisés Sales

    A partida que Mequinho venceu contra Smyslov é uma obra prima.

  • Eder Corvalão

    mais uma historinha pitoresca deste interzonal: "Uma figura interessante foi a de Turover, um senhor de 80 anos, muito rico, que é apaixonado pelo jogo de xadrez e sempre aparece nos torneios internacionais, conversou com muitas pessoas e ofereceu um premio de 200 dólares para a partida mais bonita, que coube a que Bronstein ganhou de Ljuobjevic" . [extraído do livro: Interzonal de Xadrez 73, de J.C. de Almeida Soares.

Deixe seu comentário