Grandes Enxadristas Brasileiros: Jaime Sunye Neto

Embora Henrique Mecking seja um dos mais conhecidos enxadristas brasileiros, outros jogadores também ajudaram o esporte a conseguir mais visibilidade no país — e dentre eles está Jaime Sunye Neto. Nascido em 1957 em Curitiba, no Paraná, ele é considerado até hoje um dos mais importantes enxadristas do Brasil com conquistas extraordinárias. Por isso, conheça no artigo de hoje mais sobre Sunye e acompanhe como foi sua trajetória de sucesso.

 

Campeão desde cedo

Jaime Sunye Neto começou bem cedo a angariar conquistas no mundo do enxadrismo: aos 18 anos já era bicampeão estudantil e campeão juvenil pan-americano. Esse título, inclusive, foi conquistado em uma disputa realizada em Buenos Aires, na Argentina.

Além disso, ele também participou de uma série de competições relevantes e até mesmo internacionais, como sete Torneios Zonais Sul-Americanos e três torneios Interzonais. Dentre essas dez disputas, Sunye foi campeão sul-americano em 1989 e ficou em 5° lugar em uma disputa do interzonal do Rio de Janeiro em 1979.

 

Campeão olímpico e nacional

Jaime Sunye Neto também é conhecido por ser um dos maiores e mais importantes representantes do Brasil nas Olimpíadas de Xadrez, já que participou de 8 edições diferentes. Em 1992, na disputada realizada em Manila, ele conseguiu o feito de ganhar a medalha de ouro do segundo tabuleiro.

Nos campeonatos nacionais, conseguiu o incrível feito de ser heptacampeão. Os números são ainda mais incríveis quando se considera o fato de que ele venceu 7 das 10 vezes que disputou o título, e que cinco delas foram consecutivas. As vitórias de Sunye aconteceram nos anos de 1976, 1977, 1979, 1980, 1981, 1982 e 1983.

 

O segundo Grande Mestre brasileiro

Jaime Sunye também é conhecido por ser o segundo Grande Mestre brasileiro de xadrez. O primeiro é Henrique Mecking, o Mequinho, que recebeu o título em 1972.

Quanto a Jaime, seu título de Grande Mestre foi concedido em 1986, seguindo-se ao título de mestre internacional obtido em 1980. Isso ajudou a consagrar o então já heptacampeão, que apenas 6 anos depois se tornou campeão olímpico.

Sua última partida internacional registrada aconteceu nas Olimpíadas de 2008, em que ele disputou uma partida com o enxadrista sérvio Aleksandar Kovacevic. A disputa, após 45 movimentos, terminou em empate.

Em seu currículo ele coleciona um empate com Anatoly Karpov no auge, em 1985, e a vitória de pretas sobre ninguém menos que Boris Spassky.

 

Atuação na presidência de entidades

Com o seu grande sucesso e reconhecimento, não demorou para que Jaime Sunye Neto chegasse à presidência da Confederação Brasileira de Xadrez, onde ficou de 1988 a 1992. Além disso, ele também se tornou vice-presidente da FIDE, a federação internacional da atividade, para as Américas.

O enxadrista inclusive concorreu à presidência da federação em 1996, mas acabou sendo derrotado por Kirsan Ilyumzhinov. Embora Sunye houvesse conseguido apoio de boa parte da federação e tivesse boas chances de vencer, uma manobra realizada por Kirsan acabou culminando em sua derrota por uma diferença significativa — 87 votos contra 44.

Jaime Sunye Neto é um dos maiores enxadristas brasileiros especialmente devido à sua grande notoriedade internacional. Seus feitos como campeão nacional e campeão olímpico em especial fazem com que sua história no xadrez brasileiro seja ainda mais relevante.

Agora que você já conhece sua história, confira também quem foram os 14 Grandes Mestres do xadrez brasileiro!

Gostou deste artigo? Então compartilhe nas redes sociais!

No comments

Deixe seu comentário