Isle of Man: Elite Mundial Disputa Torneio Aberto

Isle of Man: Elite Mundial Disputa Torneio Aberto

Isle Of Man: Elite Mundial Disputa Torneio Aberto

São raras as ocasiões onde um “capivara” pode enfrentar o campeão mundial. Mais difícil ainda seria ter a chance de enfrentar os três últimos campeões do mundo. Essa situação inusitada aconteceu no Isle of Man Open! Um torneio aberto, que contou com a presença da elite mundial, com destaque para o trio que domina o xadrez há mais de uma década: Carlsen, Anand e Kramnik.

Isle of Man (Ilha do homem) está localizada no Reino Unido, entre a Grã-Bretanha e a Irlanda do Norte.  O evento, realizado entre os dias 23 de setembro a 1º de outubro, contou com a participação de 13 jogadores acima dos 2700, 67 GMs, num total de 127 jogadores titulados entre os 159 participantes.

 

Primeira rodada maluca

Ops! Tirei o Caruana. Kramnik não deu sorte no sorteio da primeira rodada.

 

É difícil para qualquer enxadrista entender o emparceiramento da primeira rodada deste torneio. Na mesa 1, Carlsen enfrentou um enxadrista de 2164, tudo normal até então. Porém, na mesa 2, nada menos do que Caruana x Kramnik! Isso mesmo, simplesmente o segundo e o terceiro maiores ratings da competição. O fato aconteceu porque as primeiras mesas foram sorteadas e todo mundo poderia se enfrentar. Ou seja, entre todas as possibilidades, que falta de sorte de ambos!

 

Kramnik, do fracasso à superação

Não é todo dia que o Kramnik joga na mesa 50!

 

Na primeira rodada, o ex-campeão mundial foi derrotado por Fabiano Caruana, mas o desastre aconteceu na terceira rodada, quando Kramnik perdeu para um jogador de 2412, quase 400 pontos de rating mais baixo. Com apenas um ponto em três rodadas, Kramnik (de 2803!) foi parar na mesa 50! Depois o enxadrista russo voltou com tudo, com 5,5 em 6, demonstrou toda sua força para compartilhar o quarto lugar, uma brilhante recuperação.

 

Carlsen vencendo e convencendo

Carlsen recebendo o prêmio da organização

 

Depois da eliminação precoce na Copa do Mundo, Magnus Carlsen fez um torneio brilhante e venceu a competição com autoridade. Com seis vitórias e três empates, o campeão mundial fez uma performance de 2903 e faturou 11,4 pontos de rating. Agora, a diferença para Levon Aronian, segundo colocado no ranking da FIDE, subiu para 36 pontos. Além disso, Carlsen faturou 50 mil libras esterlinas, algo perto de R$208 mil.

 

Top 10 sem surpresas

Anand também jogou um bom torneio, com quatro empates e cinco vitórias, terminou com o vice-campeonato e 25 mil libras esterlinas no bolso, cerca de R$104 mil. O top 10 não teve nenhuma grande zebra, confira a classificação final:

  1. Carlsen 7,5
  2. Anand 7,0
  3. Nakamura 7,0
  4. Kramnik 6,5
  5. Caruana 6,5
  6. Adams 6,5
  7. Eljanov 6,5
  8. Vidit 6,5
  9. Sutovsky 6,5
  10.  Rapport 6,5

Alexei Shirov e Dhopade Swapnil também fizeram 6,5.

 

Brasil em Isle of Man

No total, 35 países foram representados na competição e o Brasil está entre eles. O GM Krikor Mekhitarian começou bem o torneio, com destaque para os empates contra os GMs Rodshtein (2695) e Howell (2701), mas depois os resultados pioraram e nosso representante terminou com 50% dos pontos.

GM Krikor foi o representante brasileiro na competição

 

No Facebook, Krikor comentou o desempenho: “…tive um começo bom, empatando com dois jogadores na faixa dos 2700! Na 5ª rodada, perdi de brancas para um MI indiano de maneira apática, me apurando demais e fazendo vários erros em seguida, já sem tempo. Outra derrota na reta final selou meu desempenho negativo, mas dessa vez fui superado do começo ao fim pelo meu adversário alemão. Ganhei a última para terminar com 4,5 em 9. (…). Agradeço muito o apoio e carinho que recebo de todos os lados e das mais variadas formas, pois é isso, junto com a vontade própria de buscar a superação no dia a dia, que me motiva. A solução é só uma: que venha o próximo! ”.

 

Xadrez feminino com velha discussão

As mulheres têm espaço cativo na redação da Academia Rafael Leitão e não seria possível falar deste grande evento sem mencionar a participação feminina. Mais uma vez, polêmica envolvendo a enxadrista número 1 do mundo, Hou Yifan. Assim como em Gibraltar no início do ano, a chinesa enfrentou apenas mulheres nas quatro primeiras rodadas. Naquela ocasião, esse fato gerou muita confusão e protestos por parte da enxadrista. 

Hou Yifan, de brancas, mais uma vez só enfrentou mulheres nas rodadas iniciais.

 

Curiosamente, Hou Yifan não foi emparceirada na quinta rodada do Isle of Man. Depois disso a enxadrista voltou ao torneio e, nas três últimas rodadas, só enfrentou homens. A chinesa de 2670 terminou com 6,0 pontos, 17ª colocação geral e o título da categoria feminino, com premiação de 6 mil libras esterlinas, perto de R$24.700.

O que você acha da polêmica envolvendo a Hou Yifan? É errado uma enxadrista enfrentar apenas mulheres em um torneio aberto? Existe uma conspiração contra a chinesa? Deixe nos comentários a sua opinião sobre esse assunto.

 

Imagens: Site oficial

Gostou deste artigo? Então compartilhe nas redes sociais!

 

Comments ( 2 )

  • Francisco regis silva pontes lima

    eu acho que tem de fazer como era no tempo do tal, fischer, onde faziam torneios com uns 15 jogadores, todos top do mundo, e ai a majestade magnus, jogar e ganhar. em relação a polemica das mulheres, a FIDE deveria começar por extinguir títulos com W na frente.. vamos igualar a todos. acabando com wmf, wmi e wgm e deixando as moças conseguir seu espaço de forma igualitária, quando as mesmas tivesse seus títulos seriam respeitadas. fim de campeonatos femininos também já ajudaria bastante. melhor feminino? nem pensar, quer ganhar premio? vai pras cabeças do torneio. eu não falo isso com machismo de nenhuma forma, muito pelo contrario, eu acredito que sendo assim, as mulheres iriam entrar nos torneios pra jogar pra vencer, pra procurar ocupar seu lugar como iguais. pois o xadrez é um esporte da mente e o sexo não é fator limitante . eu tenho filha, ela já joga xadrez, e quero que se um dia ela vier a competir ela consiga o seu premio de igual pra igual e não como premio de consolação..

  • Marcelo Campos

    Acompanhei o torneio pelo Chess24 e não entendi o motivo para Hou Yifan não ter sido emparceirada na quinta rodada. Alguém sabe explicar?

    Quanto ao emparceiramento apenas com mulheres, fica claro que não é coincidência e coloca em xeque a lisura do campeonato. Algum conspirador poderia questionar se o confronto Caruana-Kramnik não teria sido arranjado para favorecer o Magnus.

Post a Reply