Norway Chess 2017 – O Torneio Mais Forte de Todos os Tempos?

 Começou ontem, em Stavanger, Noruega, e vai até o dia 17 deste mês o fantástico Altibox Norway Chess 2017. Mas por que fantástico? Exagero? Acredite: nem um pouco.

Antes da lista oficial de jogadores surgir em fevereiro deste ano, já era especulado se este poderia ser o torneio mais forte de todos os tempos. Com a confirmação dos jogadores, que à época eram, simplesmente, os 10 melhores do mundo (!), a resposta não poderia ser outra: sim(!). Pela primeira vez na história um torneio de dez jogadores teria uma média superior aos 2800 pontos (!).

Entretanto, de fevereiro até aqui, algumas pequenas alterações aconteceram no top 10 mundial: o azerbaijano Shakhriyas Mamedyarov, “o Lenhador”, abriu caminho a “machadadas” e é, hoje, o quinto do mundo com cravados 2800; e o chinês Ding Liren, com o seu estilo agressivo, também galgou posições e já figura como décimo do mundo (2783).

 

Assista a palestra gratuita com El Debs e Ana Vitória Rothebarth

 

Portanto, da lista do Norway Chess, apenas dois jogadores não estão mais no top 10 mundial: Sergey Karjakin e Anish Giri – décimo primeiro e décimo segundo, respectivamente. E sendo assim, no final das contas, o rating médio da competição fechou em humildes 2797… Bateu “na trave”.

Enfim, a “humilde” lista de jogadores:

 

 

NOTA: os dois torneios que poderiam ser citados como concorrentes aos mais fortes da história seriam AVRO 1938 e a Sinquefield Cup de 2014. Mas AVRO reuniu “apenas” os oito melhores jogadores do mundo naquele momento, enquanto a Sinquefield Cup – que teve um rating médio de 2802 – contou com 6 jogadores. Desta forma, com dez jogadores, Norway Chess sai na frente.

 

Considerações

É difícil começar a listar motivos do porque este evento é tão aguardado – além de trazer, praticamente, os melhores jogadores do mundo. Mas podemos começar lembrando o fato de que Carlsen não vence um torneio desde Bilbao, no ano passado, e, sem dúvida, o campeão mundial deve estar “sedento por sangue”. Jogar em casa ajuda? Bom, no ano passado deu muito certo.

 

Até cortar o cabelo ele cortou

 

Wesley So, número 2 do evento e do mundo, atual campeão norte-americano, foi considerado por muitos o melhor jogador do ano de 2016. E apesar de perder recentemente a sua invencibilidade de 67 partidas(!), justamente para “o Lenhador” Mamedyarov, So é cotado como um dos favorito para ser o próximo desafiante ao título mundial.

Já para os ex-campeões mundiais Vladimir Kramnik e Viswanathan Anand, a pergunta que ressoa não é apenas do torneio em si: teriam, Kramnik e Anand, ainda condições de entrar no ciclo de disputa para o Campeonato Mundial? Pelo xadrez que ainda hoje apresentam, obviamente que sim. Mas teriam estímulo para tal?

Kramnik, que estaria muito próximo de garantir sua vaga por rating (mas por enquanto a vaga está com So e Caruana), por exemplo, já declarou que esta deve ser a última vez que participa do ciclo de candidatos – bom, pelo menos, a ideia então é participar.

 

Clique aqui para o plano com mais de 500 horas de aulas de xadrez!

 

(Entretanto, seu compatriota Alexander Grischuk, numa entrevista recente, questionado sobre tal afirmação de Kramnik, respondeu: “Kramnik vem fazendo esse tipo de declaração desde os último quatro ciclos. Já me disse há uns 13 anos  que iria retirar-se do ciclo. Agora mesmo Vladimir é o número quatro do mundo e um dos mais profissionais. Sendo assim, ele pode continuar a jogar e jogar…”).

 

Enganei todo mundo de novo…

 

Fabiano Caruana e Maxime Vachier-Lagrave, assim como Hikaru Nakamura, ainda não tiveram nenhum grande resultado este ano – o que, sem dúvida, deve ser um motivo a mais para disporem todas as suas energias nesta disputa. Levon Aronian, ao contrário, venceu o Grenke Chess apresentando um xadrez vistoso – e de sorte também.

E também os últimos da tabela, Sergey Karjakin e Anish Giri, possuem muito o que comemorar. Karjakin, na luta pelo título mundial, no ano passado, conseguiu impor uma grande resistência contra Carlsen – inclusive, a popularidade do russo cresceu consideravelmente (não só pelo xadrez apresentado como também pelo seu fair play durante toda a disputa). Além disso: o russo será papai muito em breve – quer motivo melhor para jogar feliz? Já Giri venceu o forte Aberto de Reykjavík e está com uma boa moral.

 

Um pessoal modesto…

 

 

Aquecimento Blitz

E na segunda-feira (05) as pedras já começaram a rolar num emocionante torneio blitz (3 minutos mais 2 segundos de acréscimo por lance). É com a classificação do blitz que a tabela do torneio principal é organizada. Portanto, era importante ir bem – para, ficando na parte de cima da tabela, conseguir jogar mais partidas de brancas (até o quinto lugar conseguia esta pequena vantagem). Além de ganhar uma confiança a mais, é claro.

De toda maneira, é bem fácil resumir como foi esta “primeira etapa” do Norway Chess:

 

A Supremacia Carlsen

A adaptação contará com o ator Matt Damon no papel principal

 

O campeão mundial Magnus Carlsen foi o melhor, tanto no resultado quanto no xadrez apresentado, e terminou com dois pontos de vantagem em cima do segundo colocado. Foram 7,5 pontos em 9,0 possíveis (!). Magnus começou com dois empates – Nakamura e Anand – e depois emendou uma série de vitórias. O atual campeão mundial só foi parado na sétima rodada por Kramnik, mas voltou a vencer nas duas rodadas finais. 6 vitórias e 3 empates num torneio com rating médio de 2797? Alguém, por favor, faça o rating performance dessa criatura…

 

Nós vamos ficar devendo…

 

Completaram o pódio Nakamura e Aronian, segundo e terceiro lugar respectivamente, somando cada um humanos 5,5 pontos.  A classificação final do blitz – e que vai servir, como já dito, como tabela para o torneio principal:

1Carlsen, Magnus7,530.5
2Nakamura, Hikaru5.521.75
Aroniano, Levon5.521
4Vachier-Lagrave, Maxime519,5
5Kramnik, Vladimir4,520,5
Karjakin, Sergey4,517
7Anand, Viswanathan417,25
So, Wesley413.25
9Caruana, Fabiano313
10Giri, Anish1,55.75

 

Destaque negativo para So – que sempre foi um temido jogador de blitz, mas não conseguiu acertar a mão.

 

Primeira e Segunda Rodadas

Como não poderia ser diferente, o grande equilíbrio vem sendo, até agora, a marca da competição até agora. Entretanto, o equilíbrio não quer dizer que não tenha havido grandes embates.

Embora Vachier-Lagrave x Anand e Aronian x Caruana terem sido empates um pouco mais sólidos, em Kramnik e Karjakin a partida chegou muito perto de desequilibrar-se a favor do primeiro jogador.

 

 

Um encontro muito já aconteceu nessa primeira rodada: Carlsen x So. O campeão mundial pressionou durante todo o tempo em uma posição típica do seu estilo. Mas So conseguiu defender-se de maneira muito sutil.

A única vitória aconteceu para Nakamura em cima Giri. O norte-americano conseguiu uma pequena vantagem na abertura (estrutura de peões e bispo) e pressionou o holandês que acabou, no apuro, complicando-se na defesa. Giri, que ficou em último no blitz, com certeza devia estar angustiado…

… E essa angústia quase sumiu completamente na segunda rodada quando Giri ficou muito próximo da vitória contra o ex-desafiante ao título mundial Karjakin. Ao contrário de Caruana x Carlsen, onde a vitória parece ter ficado distante para os dois lados. Mesmo caso de So x Vachier e Nakamura x Aronian – embora com um pouco mais de luta neste último confronto.

 

 

A única vitória da segunda rodada aconteceu no confronto dos ex-campeões mundiais Anand e Kramnik. O duvidoso sacrifício de peão feito por Anand na abertura acabou deixando as pretas com uma leve vantagem que, talvez, não deveria ter sido suficiente, mas em algum momento Anand deixou escapar a defesa correta – talvez quando trocou seu peão de “a” pelo peão de “c” das pretas. Vitória de Kramnik e líder junto com Nakamura.

Os resultados das rodadas até agora:

 

Rodada 1
Hikaru Nakamura1-0Anish Giri
Levon Aronian½-½Fabiano Caruana
Magnus Carlsen½-½Wesley So
M. Vachier-Lagrave½-½Vishy Anand
Vladimir Kramnik½-½Sergey Karjakin
Rodada 2
Hikaru Nakamura ½-½Levon Aronian
Anish Giri ½-½Sergey Karjakin
Fabiano Caruana ½-½Magnus Carlsen
Wesley So ½-½M. Vachier-Lagrave
Vishy Anand 1-0Vladimir Kramnik

 

A classificação até agora:

 

#NomePtsSB
1Kramnik, Vladimir1,51
Nakamura, Hikaru1,51
3Aroniano, Levon11,25
Carlsen, Magnus11
Caruana, Fabiano11
Karjakin, Sergey11
Wesley So11
Vachier-Lagrave, Maxime10,75
9Anand, Viswanathan0,50,5
Giri, Anish0,50,5

 

A terceira rodada (amanhã, 08) vai trazer:

Rodada 3
Levon AronianAnish Giri
Magnus CarlsenHikaru Nakamura
M. Vachier-LagraveFabiano Caruana
Sergey KarjakinVishy Anand
Vladimir KramnikWesley So

 

 

E aí? Quem vai levar “o torneio mais forte de todos os tempos”?

Façam suas apostas!

 

FONTES

ChessBase

Chess24

Site Oficial

 

Escrito por Equipe Academia de Xadrez Rafael Leitão 07-06-2017

 

Gostou? Compartilhe esse conteúdo nas redes sociais!

 

2 Respostas a “Norway Chess 2017 – O Torneio Mais Forte de Todos os Tempos?”

  • Leandro

    Não é....
    Lembremos que já teve torneio com Botvinik, Fine, Capablanca e Alekhine.... Só pra citar os poucos.
    Atualmente há jogadores fantásticos, honram o xadrez e a sua história, mas era de ouro ainda é a melhor.
    Mais talento, mais inteligência, mais sentimentos....
    Há dúvidas se rating é realmente prova de um jogador mais forte.

    Aposto em Kramnik campeão
    :)

  • José Inácio Bertanha

    Ainda e sempre o melhor de agora e de todos os tempos para mim, Magnus Carlsen.

Deixe seu comentário