GM Natalia Zhukova é Suspensa 3 Meses

 O Outro Lado das Trapaças – Parte II 

 Em tempos de delações premiadas, qualquer cuidado é pouco. E não é só no Brasil que a moda está pegando. Parece que no mundo do xadrez também. Entretanto, talvez não com o mesmo sucesso… É o que nos diz a recente punição (provisória) sofrida pela GM ucraniana Natalia Zhukova.

 

Entendendo a História

No Campeonato Europeu Feminino de 2015, em Chakvi, Geórgia, dentre tantas jogadoras de 2500 (algumas, inclusive, bem jovens e em franca ascensão), após cinco rodadas, a liderança da competição com impressionantes 100% de aproveitamento era da WGM romena Mihaela Sandu (na época com 38 anos de idade e 2300 de rating FIDE). O excelente desempenho de Sandu começou a causar a desconfiança de algumas das participantes do evento.

 

Sandu havia derrotado Aysel Mammadova, IM Salome Melia, WGM Aleksandra Goryachkina, WGM Olga Gira e IM Lela Javakhishvili

 

Depois da sétima rodada do torneio uma primeira carta, assinada por 32 jogadoras do torneio, pedia um atraso de 15 minutos nas transmissões ao vivo – para dificultar qualquer tipo de trapaça e deixando clara a suspeita de que algo errado estava acontecendo. O pedido foi acatado pela organização do evento. Esta primeira carta dizia, aproximadamente, o seguinte:

 

Nós, as participantes do 16º Campeonato Europeu Feminino, gostaríamos de expressar a nossa profunda preocupação frente às suspeitas de fraude no torneio. Gostaríamos de pedir a cooperação dos organizadores a este respeito. Existem algumas maneiras de combater o uso de trapaças envolvendo a tecnologia e nós acreditamos fortemente que os organizadores devem fazer o possível para evitar tais situações. Nós pedimos um atraso de 15 minutos na transmissão ao vivo de todos os jogos. É uma solução comum, usada em muitos torneios de alto nível.

 

Contudo, não parou por aí. Algumas rodadas depois uma segunda carta, desta vez assinada por 15 jogadoras, e endereçada mais uma vez à organização do torneio, mas também afixada no mural de recados no salão de jogos da competição, mencionava diretamente Mihaela Sandu e pediam a remoção de seus jogos das transmissões online:

 

Nós, as participantes do 16º Individual de Xadrez Campeonato Europeu Feminino, queremos expressar nossa preocupação frente ao desempenho da jogadora M. Sandu. Gostaríamos de pedir aos organizadores que não incluíssem a transmissão ao vivo dos jogos de Sandu a partir das próximas rodadas e que os publiquem apenas após o termino das rodadas. Nós não vemos qualquer razão importante para que tal medida de precaução não agrade os dois lados. Esperamos que essa decisão impeça todas as possíveis suspeitas.

 

As jogadoras que assinaram a segunda carta:

Natalia Zhukova, Alisa Galliamova, Lanita Stetsko, Nastassia Ziaziulkina, Anastasia Bodnaruk, Anastasia Savina, Dina Belenkaya, Jovana Vojinovic, Evgenija Ovod, Salome Melia, Svetlana Matveeva, Marina Guseva, Anna Tskhadadze, Tatyana Ivanova, e Ekaterina Kovalevskaya.

 

Esta segunda carta foi duramente criticada pelos organizadores do Campeonato. A resposta da organização, assinada pelo Diretor do Torneio Giorgi Giorgadze, afirmava: “…consideramos essa acusação como injusta, insultante e criadora de desnecessária pressão psicológica.”

 

Baixe o E-book Gratuito passo a passo para melhorar seu jogo online

 

O fato é que com certeza a jogadora romena saiu abalada de tudo isso – tanto é que acabou perdendo três partidas seguidas. Após a competição Sandu utilizou as redes sociais para manifestar a sua indignação, caracterizando o comportamento de suas concorrentes como “um ataque muito sujo, que cria danos permanentes para meu nome no mundo do xadrez”. Mihaela Sandu terminou o torneio com 6,0 pontos, na décima sexta posição (ela era a 45ª) e com um rating performance de 2471. A campeã foi a GM Natalia Zhukova, com 8,5 – e, curiosamente, a jogadora que encabeçou as denúncias contra Sandu.

 

Natalia Zhukova: foi a campeã do Campeonato e a principal responsável pelas acusações contra Sandu

 

Somente agora, dois anos depois, no dia 24 do mês passado, a comissão de ética da FIDE emitiu um veredito, provisório, sobre o ocorrido.

A decisão declarou as 15 jogadoras que assinaram a segunda carta contra Sandu culpadas por “violar o art. 2.2.11 do Código de Ética da FIDE e por fazerem negligentes a injustificadas acusações de fraude contra a WGM Mihaela Sandu, e desse modo prejudicando e desacreditando a sua reputação como uma jogadora honesta.”

Ainda segundo a decisão da comissão de ética da FIDE, a GM Natalia Zhukova, de 37 anos, por ter incitado a segunda carta, deverá sofrer uma suspensão de três meses sem poder participar de nenhum evento oficial da FIDE: “A sanção é suspensa por completo durante um período de um ano, sob a condição de que ela não seja considerada culpada de fazer acusações negligentes e injustificadas de fraude contra qualquer outra jogadora durante o período de suspensão.” Já as outras 14 jogadoras receberam punições bem mais brandas: nove apenas uma censura e cinco apenas uma advertência

Entretanto, a Associação de Profissionais de Xadrez emitiu uma declaração sobre o caso. A PCA ficou do lado das jogadoras punidas, censurando as atitudes que foram tomadas naquela ocasião pelos organizadores e árbitros do torneio – indo contra, portanto, a decisão da FIDE: “Resumindo, os erros dos organizadores e árbitros tiveram um papel muito significativo que resultaram em consequências muito lamentáveis. Pode até dizer-se que foi por culpa deles que a situação explodiu. Essa é a razão porque nós discordamos fortemente com a decisão da Comissão de Ética que culpou e sancionou as jogadoras enquanto praticamente sem mencionar o lamentável papel dos oficiais”.

Todavia, é importante lembrar: tanto a punição de Zhukova, quanto das outras jogadoras, é provisória. Em breve a FIDE publicará a sua decisão oficial sobre o caso.

 

 

Outros Casos Similares

Alguns casos de trapaças ficaram famosos no xadrez. Em 2011, nas Olimpíadas de Khanty-Mansiysk, três jogadores do time da França foram suspensos por utilizar um esquema de trapaças durante as partidas. O MI Cyril Marzolo transmitia, através de mensagens de celular, para o GM Arnaud Hauchard, então capitão do time francês, os lances sugeridos por uma engine para os jogos do GM Sebastien Feller (na época com 20 anos).

 

Visite nossa página de materiais gratuitos!

 

Já em 2015, num grande torneio aberto em Nova Deli, Índia, o jovem Dhruv Kakkar, de mais ou menos 1500 de elo FIDE, através de celulares e escutas, fez uso de computadores para vencer diversas partidas. Inclusive contra um GM. Kakkar acabou sendo pego e expulso do torneio.

Tanto o GM Sebastien Feller, quanto Dhruv Kakkar, tiveram como punição três anos fora de competições oficiais.

 

Após cumprida a sua punição, o GM Feller retornou às competições oficiais da FIDE

 

Mas, algumas vezes, a rivalidade acaba extrapolando o limite extra-tabuleiro. E os jogadores, com os ânimos aflorados, deixam um pouco o bom senso de lado (o que talvez tenha acontecido no “caso Sandu”).

O mitológico match entre Fischer e Spassky, em Reykjavik, em 1972, foi repleto de acusações – e de ambos os lados (algumas sérias, outras mais paranoicas). Durante a 17º partida, quando o placar mostrava 10 a 7 para Fischer, os russos acusaram os americanos de estarem usando “dispositivos eletrônicos” e “uma substância química” para atrapalhar Boris Spassky. Enfim, a cadeira de Fischer acabou sendo examinada e, finalmente, encontrou-se uma prova: uma mosca morta. Mas, infelizmente, a autópsia da mesma não foi conclusiva (é o que mais ou menos relata, ironicamente, Kasparov no 4º volume de Meus Grandes Predecessores).

 

 

Já no match pelo Campeonato Mundial de 2006, em Elista, entre Kramnik e Topalov, o jogador búlgaro, através do seu segundo, o GM Silvio Danailov, acusou os lances de Kramnik de estarem muito em sintonia com os lances propostos pelos computadores. Pedindo, portanto, que o GM russo fosse acompanhado por alguém em suas idas (constantes, segundo Danailov) ao banheiro. Contudo, nada foi comprovado e a intimidade de Kramnik preservada.

 

 

Agora, a pergunta que fica no ar é: Como encontrar o meio termo para evitar fraudes e, ao mesmo tempo, não prejudicar inocentes com injustas acusações? O que você acha? A punição para Zukhova é exagerada?

 

FONTES

Chess.com

Escrito por Equipe Academia de Xadrez Rafael Leitão 20-05-2017

 

 

Gostou? Compartilhe esse conteúdo nas redes sociais!

 

4 Respostas a “GM Natalia Zhukova é Suspensa 3 Meses”

  • Nelson Vasconcelos

    A despeito do texto bem escrito senti falta da opinião do Rafael sobre o caso

    • Rafael Leitão

      Oi Nelson, obrigado pelo comentário. Eu achei a punição exagerada e desnecessária. Acho que as "acusadoras" deveriam receber uma advertência apenas.

  • Gustavo Silva

    Suponhamos que Mihaela Sandu estivesse sendo beneficiada por algum tipo de fraude. Como o atraso nas transmissões das suas partidas poderia reverter o quadro? E de que tipo de fraude se suspeitou? Fiquei inteiramente no ar a respeito disso. Obrigado.

    PS: sugiro que se publique algo sobre o GM Viktor Kupreichik, falecido trás-anteontem.

    • Rafael Leitão

      Oi Gustavo, o atraso nas transmissões é uma forma de tentar evitar um tipo comum de fraude, quando alguém passa lances para o jogador (através de um ponto eletrônico, por exemplo), observando a posição da partida na transmissão oficial.

Deixe seu comentário