A Polêmica na Final da Primeira Olimpíada de Xadrez Online

O xadrez tornou-se um novo esporte durante a pandemia. Online, o jogo vem mostrando um crescimento considerável no número de praticantes, porém, a internet também traz desafios complexos que o xadrez online terá de superar.

 

Está sem tempo para ler o artigo? Escute a versão em áudio!

 

Os problemas relacionados a trapaças já são por si só um ponto chave para o futuro do xadrez online. Contudo, também é preciso considerar situações rotineiras como uma eventual queda na internet.

 

O que fazer quando cai a conexão de um jogador durante a partida? A posição atual deve ser considerada? O jogador deve perder imediatamente?

 

Até então, a regra não dava margem para dúvidas: ficar sem conexão era considerado uma forma de “abandono”.

 

Porém, na primeira Olimpíada Online de Xadrez, realizada no Chess.com, entre 22 de julho a 30 de agosto, uma desconexão global gerou uma situação inusitada na grande final.

 

Final com decisão polêmica

 

Rússia e Índia faziam uma final equilibrada quando, no match decisivo, o GM  Nihal Sarin e a WMI Divya Deshmukh perderam a conexão e, consequentemente, as suas partidas.Contabilizando essas duas derrotas, o placar final foi de 4,5 x 1,5 para a equipe da Rússia.

 

Contudo, os indianos protestaram na FIDE (Federação Internacional de Xadrez) alegando que os jogadores não tiveram culpa pela desconexão. A competição terminou de maneira política.

 

Após verificar um problema em um dos maiores provedores de internet do mundo, o que afetou vários países, incluindo a Índia,  o presidente da FIDE Arkady Dvorkovich, que também é russo, optou por dividir o título entre os dois finalistas.

 

A Revolta da Rússia e da Armênia

 

A decisão gerou revolta entre os enxadristas russos e armênios. No duelo das quartas de final, a equipe da Armênia teve um problema de conexão justamente contra a equipe da Índia, porém, neste caso, não houve perdão.

 

O GM russo Ian Nepomniachtchi é um dos principais enxadristas do mundo e deu uma opinião forte sobre o tema: “Decisão inteligente para deixar contente a comunidade indiana do xadrez. É uma nobreza seletiva!”.

 

A enxadrista russa e ex-campeã mundial, Alexandra Kosteniuk, também foi dura em suas afirmações: “Por que não dão a medalha de ouro para todas as equipes?”.

 

Em análise à ESPN Índia, o ex-campeão mundial, Viswanathan Anand, disse que não esperava tal decisão: “No final das contas, acho que é bastante justo porque as duas equipes estavam equilibradas neste match. É certamente uma surpresa agradável”, afirmou.

 

C:UsersUserDownloadsoli.jpg

Os GM´s Krikor Mekhitarian e Rafael Leitão transmitiram a grande final

 

O Torneio

 

A Olimpíada foi disputada por 163 países, divididos em várias divisões. Cada equipe era formada por até 12 jogadores, 6 titulares, sendo obrigatória a presença de enxadristas do sexo feminino e de jovens até 20 anos.

 

A primeira fase foi disputada no sistema de grupos, seguida por uma fase eliminatória. A partidas tiveram um ritmo de 15 minutos com acréscimo de 5 segundos por lance.

 

A Participação Brasileira

 

O Brasil disputou a divisão principal da competição e terminou na sétima colocação entre os 10 participantes do grupo D. Foram 2 vitórias, 1 empate e 6 derrotas. Apenas os três primeiros colocados se classificaram para a fase eliminatória.

 

A equipe brasileira foi composta pelos seguintes enxadristas:

 

Feminino

MF Juliana Terao

WMF Julia Alboredo

WMI Kathie Librelato

 

Masculino

GM Luis Paulo Supi

GM Alexandr Fier

GM André Diamant

GM Darcy Lima (não disputou nenhuma partida)

Sub 20 Feminino

WCM Beatriz Maria Frattini

Isabella Ribeiro Conti

Sub 20 Masculino

MF Victor Labussiere

Lucas do Valle Cardoso

 

Os Resultados do Brasil

  1. Brasil 4,5  x 1,5 Paraguai
  2. Brasil 1 x 5 Itália
  3. Brasil 1 x 5 Cuba
  4. Brasil 1 x 5 Estados Unidos
  5. Brasil 4,5 x 1,5 Argentina
  6. Brasil 3 x 3 Polônia
  7. Brasil 2 x 4 Peru
  8. Brasil 2,5 x 3,5 Canadá
  9. Brasil 2 x 4 Grécia

 

Classificação Final da Primeira Olimpíada Online

 

Países que chegaram na fase eliminatória:

 

Ouro: Rússia e Índia

3-4: Polônia e Estados Unidos

5-8: Armênia, Azerbaijão, Hungria e Ucrânia

9-12: China, Alemanha, Bulgária, Grécia.

 

Na sua opinião, a divisão da medalha de ouro foi justa? Deixe sua opinião nos comentários.

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Cruz.

2 Respostas a “A Polêmica na Final da Primeira Olimpíada de Xadrez Online”

  • Leandro

    Gostei dos jogos, mas após 6 derrotas, temos de dizer:
    Equipe brasileira não foi bem. Lamentamos. Culpa de quem?
    Jogadores esforçados, excelentes esportistas, GMs de qualidade inquestionável...
    Quantas vezes a CBX tentou transformar o xadrez em profissão, como é o caso na Rússia, procurando dar um patamar de conforto aos profissionais pra que estejam, no mínimo, tranquilos durante uma competição?
    Eu tenho uma rixa com essa CBX, mesmo que eu nem saiba o que ela faz ou o que fez pelo xadrez brasileiro (desculpem, só um desabafo).
    Vê-se que a culpa não foi dos participantes.

    Já a divisão do título... Sei lá... Uma pena que aconteceu isso, o online tem suas regras, seus riscos... Infelizmente queda de conexão é uma hipótese sempre.
    Eu bem que gostaria que as duas partidas reiniciassem do começo, mas isso pode abrir predisposição, numa próxima competição, deixar jogador desonesto que pode deixar cair a conexão e recorrer depois....
    Todavia, fica tão sem graça ver um jogo decidido em queda de conexão.
    Enfim, meu veredito:
    NÃO SEI!

    Gostei de ver os russos vencendo
    :)

  • Valdecir

    Acredito que se o jogador não desconectou intencionalmente. A partida ser reiniciada da posição e mesmo tempo de quando foi interrompida é o mais justo.

Deixe seu comentário