Carlsen Vence o London Chess 2015

Magnus Carlsen é indiscutivelmente o melhor jogador da atualidade e certamente um dos melhores enxadristas de todos os tempos. Não há, a curto prazo, um adversário que apresente real ameaça a seu trono, já que Nakamura, Anand, Caruana e Aronian ainda parecem dominados. Já o prodígio chinês Wei Yi tem chances, mas alguns anos ainda o esperam até que vire uma possibilidade real.

Ainda assim, o ano de 2015 não foi dos melhores para o campeão mundial, que teve um fraco desempenho no Norway Chess e na Sinquefield Cup, além de ter tido maus resultados contra jogadores de rating bem menor que seus 2800+.

No entanto, não podemos negar que os altos e baixos de Carlsen durante esse ano são um verdadeiro alento para nós, reles mortais representantes da espécie hydrochoerus hydrochaeris.

 

Hydrochoerus hydrochaeris capivara xadrez

[Se até ele – até ele! – pode perder partidas, o que dizer de cada um de nós?]

Mas Magnus é Magnus e o desempenho abaixo do esperado certamente não perduraria por muito tempo. E ele surpreendeu mais uma vez, mostrando por que é o melhor do mundo ao vencer, em uma dramática final, o último dos mais importantes torneios do ano de 2015.

Até a oitava rodada do London Chess Carlsen estava com 4,5 pontos, atrás apenas de Maxime Vachier-Lagrave e Anish Giri, ambos como 5 pontos. Na nona rodada, Magnus conseguiu uma importante vitória contra Grischuk, enquanto todas as outras partidas terminaram empatadas. Com isso, Carlsen, Lagrave e Giri, todos com 5,5 pontos, foram para um peculiar desempate.

E o critério utilizado foi o Sonneborn-Berger, o que deu ao campeão mundial o privilégio de ficar descansando enquanto esperava o resultado do duelo entre Giri e Lagrave.

No Twitter, Nakamura criticou a forma do desempate, afirmando que para disputas com prêmios dessa magnitude [75 mil dólares] todos deveriam ter se enfrentado. O GM Rafael Leitão também se manifestou sobre o formato inusitado ao comentar em vídeo a partida do dia de hoje.

Críticas à parte, o fato é que no primeiro tie-break Giri foi eliminado por Lagrave, que ganhou o Armageddon, após os dois jogadores terem vencido suas partidas de pretas (rápidas de 25 minutos). Então Lagrave foi disputar o último tie-break com Magnus. Na primeira partida, vitória do campeão mundial em um dramático final de torres, no qual o francês desperdiçou a chance de chegar a uma posição teórica de empate (veja aqui as análises). Na segunda partida o empate foi suficiente para que Carlsen recuperasse o ano de 2015, fechando-o em grande estilo como vencedor do 7º London Chess Classic.

 

London chess 2015 Carlsen campeão

[“Tudo está bem quando acaba bem” disse Carlsen no Twitter após a vitória]

 

Com a vitória, o norueguês conquistou também o título do Grand Chess Tour (circuito composto pelo Norway Chess, Sinquefield Cup e London Chess), seguido de Anish Giri e Levon Aronian.

Quem é rei nunca perde a majestade e que 2016 seja um ano em que Carlsen nos brinde com a sua melhor performance. O xadrez agradece!

 

Fontes:

London Chess

Fotos: Ray Morris-Hill.

 

Escrito por Equipe Academia Rafael Leitão em 15.12.2015.

No comments

Deixe seu comentário