FIDE x PCA: A Divisão do Xadrez

Para quem gosta da história do xadrez, aprender a ordem cronológica dos campeões mundiais é indispensável. Mas quem já se dispôs a executar essa tarefa encontrou grande dificuldade após o ano de 1993.

É que o mundo do xadrez sofreu um racha e, paralelamente à FIDE, uma outra associação foi criada. Continue lendo e saiba o que aconteceu.

 

O Desafiante de Garry Kasparov

Em 1985, finalmente Garry Kasparov conseguiu destronar Anatoly Karpov, que tentou, sem êxito, recuperar o título de campeão mundial de xadrez por 3 vezes (1986, 1987 e 1990).

Então iniciou-se um novo ciclo para definir o próximo desafiante. A competição, desde o Interzonal de Manila até o Torneio de Candidatos, durou de 1990 a 1993.

E depois de quase 10 anos, vimos um desafiante inédito ao título de campeão mundial de xadrez, o sempre polêmico Nigel Short.

 

As Imposições da FIDE

Como sempre ocorria, esperava-se que os detalhes do match Kasparov x Short fossem resolvidos de comum acordo entre a FIDE, o então campeão mundial e o desafiante. No entanto, os enxadristas alegaram que o presidente da Federação Internacional de Xadrez à época, Florencio Campomanes, havia decidido o local em que a partida ocorreria (Manchester) e o valor do prêmio sem consultar previamente os jogadores.

Garry Kasparov e Nigel Short não aceitaram a decisão imposta e rebelaram-se contra a instituição. Eles se desfiliaram conjuntamente da FIDE e fundaram a PCA – Professional Chess Association, liga paralela pela qual disputariam o título de campeão mundial de xadrez.

 

A PCA – Professional Chess Association

A PCA era uma liga formalmente constituída, que tinha Bob Rice como comissário. A associação organizou, em outubro de 1993, o match entre Kasparov e Short pelo título de campeão mundial de xadrez, em uma disputa de 24 partidas, realizadas no Savoy Theatre, em Londres, com patrocínio do The Times.

No 20º jogo Kasparov matematicamente já tinha garantido a manutenção do seu título, no entanto, para dar continuidade à agenda da disputa, as 4 partidas restantes foram realizadas como exibição. Ao final, Garry Kasparov venceu convincentemente Nigel Short por 12½-7½. A disputa foi revivida 22 anos depois, no “Duelo das Lendas”.

Ainda pela PCA, em 1995 Kasparov chegou a defender sua coroa contra Viswanathan Anand, em um match que aconteceu no andar nº 107 do World Trade Center, em Nova Iorque, entre os dias 10 de setembro e 16 de outubro.

 

kasparov anand 1993 pca

 

Após esse match a liga faliu e não foi possível escolher um próximo desafiante. Foi então que Kasparov fundou, em 1998, o WCC – Conselho Mundial de Xadrez.

O WCC organizou a disputa entre Alexei Shirov e Vladimir Kramnik pelo direito de desafiar Garry Kasparov. Shirov ganhou, mas não conseguiu apoio financeiro para patrocinar o match contra o campeão mundial.

A disputa Kasparov x Shirov nunca aconteceu e, nos anos 2000, foi organizado um match entre Kasparov e Kramnik pela coroa, sob protestos de Shirov que argumentava ser o legítimo desafiante ao título.

E o match Garry Kasparov x Vladimir Kramnik foi ainda mais surpreendente porque, com 2 vitórias, 13 empates e nenhuma derrota, Kramnik destronou o lendário Kasparov, tornando-se campeão mundial pela WCC.

Em 2004, Kramnik foi desafiado por Peter Leko, que chegou à última partida do match precisando apenas de um empate, mas a vitória de Kramnik levou a série ao placar de 7-7 e a coroa foi mantida.

 

A Resposta da FIDE

A FIDE não aceitou o rompimento e a realização paralela de um campeonato mundial de xadrez. O que se viu a partir daí foram 14 anos em que o mundo do xadrez teve dois torneios simultâneos pelo título de campeão mundial.

Com a ruptura, a FIDE retirou o título de Kasparov e organizou um novo campeonato mundial entre Anatoly Karpov e Jan Timman. Karpov, por ter sido o campeão antes de Kasparov e por ter sido derrotado por Nigel Short na semifinal do Torneio de Candidatos; já Timman foi escolhido por ter disputado a final do Torneio de Candidatos contra Nigel Short. O match da FIDE foi disputado também no ano de 1993, de setembro a novembro, nos Países Baixos e em Jacarta, na Indonésia, e Anatoly Karpov recuperou a coroa que havia perdido para Kasparov em 1985.

Em 1996, pelo ciclo da FIDE, Karpov derrotou Gata Kamsky. A partir de então, a Federação Internacional abandonou o formato Interzonal/Candidatos, promovendo disputas de partidas rápidas entre vários enxadristas.

Sob esse novo sistema da FIDE, Anatoly Karpov chegou a defender seu título em 1998, mas se recusou a fazê-lo novamente por causa das mudanças das regras em 1999. Houve o Torneio e Alexander Khalifman foi o vencedor em 1999. Em 2000, o campeão foi Vishy Anand; em 2002, Ruslan Ponomariov; e em 2004, Rustam Kasimdzhanov.

A FIDE somente desistiu desse formato eliminatório no ano de 2005, quando promoveu um Campeonato Mundial em San Luis, na Argentina, com os 8 melhores enxadristas da época. Vladmir Kramnik – o campeão pela WCC, antiga PCA -, recusou-se a participar e o torneio foi vencido por Veselin Topalov.

 

 

A Reunificação do Título Mundial de Xadrez

A reunificação do título de campeão mundial de xadrez somente ocorreu de fato no ano de 2006, quando foi promovido sob a tutela da FIDE um match disputado entre Kramnik (o campeão da liga WCC, antiga PCA) e Topalov (o vencedor do campeonato da FIDE realizado em San Luis). Vladimir Kramnik venceu a disputa e se tornou indiscutivelmente o campeão mundial de xadrez.

 

Gostou de conhecer a história da divisão do mundo do xadrez? Leia também nosso artigo sobre os campeões mundiais de xadrez.

No comments

Deixe seu comentário