O Gambito da Rainha: O Fenômeno que Impulsiona o Xadrez

O Gambito da Rainha: O Fenômeno que Impulsiona o Xadrez

 

Sem desprezar os esforços dos últimos campeões mundiais de xadrez, é fato que nenhum deles conseguiu ser tão popular quanto Elizabeth Harmon.

 

Está sem tempo para ler o artigo? Escute a versão em áudio!

 

C:UsersUserDesktopthe-queen-s-gambit-077r-1603898589.jpg

Elizabeth Harmon

 

A minissérie Gambito da Rainha conta a saga da enxadrista fictícia e, em menos de um mês após o lançamento, mais de 62 milhões de usuários da Netflix já assistiram a minissérie, chegando ao top 10 da plataforma em 92 países e liderando a audiência em 63 deles.

Um verdadeiro fenômeno que ocasionou um boom no interesse geral pelo xadrez. A busca pelo termo “chess” no Google apresentou um crescimento considerável no último mês, conforme demonstra o gráfico abaixo.

C:UsersUserDesktopchess.jpg

Gráfico demonstra crescimento das buscas no Google pelo termo “chess” após o lançamento da série

 

Interesse que resulta em novos jogadores nas principais plataformas online. No chess.com, por exemplo, existem atualmente mais de 3 milhões de contas ativas, contra 1,9 milhões de contas em 23 de outubro.

Mestres, Grandes Mestres e, claro, várias das principais enxadristas do Brasil já foram entrevistados por diversos veículos de comunicação para comentar a série e opinar sobre temas relevantes como, por exemplo, o machismo no xadrez.

A MF Juliana Terao é uma das maiores enxadristas do país e ela deu a sua opinião sobre Gambito da Rainha para diversos veículos, entre eles, o jornal O Globo.

“A série tenta mostrar essa questão de gênero, mas acho que pegaram um pouco leve. No meu ver, aceitaram bem a chegada de uma mulher no topo, ainda mais na época em que se passa a história, na década de 1950-1960. Acho que na vida real teria sido bem diferente. Os jogadores não aceitariam tão facilmente serem dominados por uma mulher”, opinou Juliana Terao.

 

Interesse pelo Xadrez Aumentou na Pandemia

Em 2020, o xadrez (online) teve um crescimento forte em função do isolamento social como medida de prevenção à COVID19. Os torneios online já apresentavam crescimento desde meados de abril. Segundo os cálculos do jornal The New York Times, o número de partidas online cresceu 55% com o avanço da pandemia.

Deste modo, é natural pensar que o Gambito da Rainha faz parte de uma segunda onda de crescimento do xadrez em 2020, ainda maior do que a primeira no fim do primeiro trimestre.

 

Segunda Temporada?

A atriz Anya Taylor-Joy não descartou totalmente a continuação da série, mas  acredita que a série terminou em um bom lugar, exatamente onde o livro que a inspirou terminou. Oficialmente, até então, a série não foi renovada pela Netflix.

Na opinião da redação da Academia Rafael Leitão, partindo do pressuposto que a primeira temporada foi inspirada na jornada de Bobby Fischer rumo ao título mundial em 1972, nesta segunda temporada poderia surgir uma segunda mulher, tão forte quanto Beth, no qual elas fariam disputas intensas dentro e fora dos tabuleiros, assim como Karpov e Kasparov.

 

Qual deveria ser o roteiro de uma suposta segunda temporada? Deixe sua opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Ferreira da Cruz.

 

 

3 Respostas a “O Gambito da Rainha: O Fenômeno que Impulsiona o Xadrez”

  • Jairo Sérgio Castro Vasconcelos

    Muita gente aprendeu a jogar xadrez graças ao match Fischer x Spassky (eu sou um desses). Agora acredito que um novo marco histórico está se revelando: esta série. O futuro dirá.

  • Leonardo Linhares

    Não entendo essa questão de machismo no xadrez. Impedem as mulheres de jogar? Não. Elas são discriminadas, preteridas de alguma forma concreta? Duvido. Se causa espanto e se comenta muito o fato de uma jogadora forte ser mulher, creio que isso se deva ao fato de que, em geral, poucas mulheres se interessam por xadrez; daí o espanto de muitos.

    • Chess

      Fato. o resto é só mimimi.

Deixe seu comentário