Grandes Torneios de Xadrez: AVRO 1938

Grandes Torneios de Xadrez: AVRO 1938

Grandes Torneios de Xadrez: AVRO 1938

Nos dias atuais os melhores jogadores do mundo se enfrentam com certa frequência.

Reunir as estrelas do xadrez em 1938, porém, era uma missão quase impossível. No entanto, a empresa holandesa de radiodifusão AVRO conseguiu superar todas as dificuldades da época e realizou um dos torneios mais fortes da história.

AVRO 1938 foi um supertorneio com os oito melhores enxadristas do mundo.

C:UsersUserDesktopAVRO_1938_2_221 (1).jpg

Vista do salão de jogos no Torneio de AVRO 1938

 

Disputado em quatorze rodadas, entre os dias 6 e 27 de novembro, foi realizado em dez cidades da Holanda.

O campeão mundial Alexander Alekhine e os ex-campeões mundiais Max Euwe e José Raul Capablanca eram as principais estrelas da competição.

 

Antes de AVRO

Em 1927, o soviético Alexander Alekhine (que emigrou para a França) venceu o então campeão, José Raul Capablanca (Cuba), e tornou-se Campeão Mundial de Xadrez.

Anos depois, em 1935, o holandês Max Euwe venceu Alekhine por 15.5 x 14.5 e conquistou o título, recuperado por Alekhine em 1937 com uma grandiosa vitória por 15.5 x 9.5.

Os holandeses não ficaram satisfeitos com a derrota e decidiram que o vencedor de AVRO enfrentaria Euwe em match com o intuito de definir o desafiante moral de Alekhine, visto que as regras para o Campeonato Mundial não estava bem definidas.

 

O Torneio

O americano Reuben Fine começou o torneio de forma avassaladora, com cinco vitórias e um empate.

Contudo, na sétima e última rodada do primeiro turno, o estoniano Paul Keres superou Fine de pretas e diminuiu a diferença para meio ponto.

C:UsersUserDesktopfine (1).jpg

Reuben Fine começou o torneio de forma impecável

 

Por fim, depois de metade do evento, a classificação estava da seguinte maneira: 1-Reuben Fine (Estados Unidos) 5.5, 2-Paul Keres (Estônia) 5.0, 3- Mikhail Botvinnik (União Soviética) 4.0, 4- José Raul Capablanca (Cuba) 3.5, 5- Alexander Alekhine (União Soviética/França) 3.0, 6- Samuel Reshevsky (Estados Unidos) 3.0, 7- Max Euwe (Holanda) 2.0 e 8- Salo Flohr (Tchecoslováquia) 2.0.

O torneio ainda estava na metade, mas já era claro que os ilustres campeões mundiais não eram superiores à nova geração, pronta para substituí-los.

Contudo, na segunda metade do torneio Max Euwe apresentou um excelente desempenho, conseguindo cinco pontos em sete rodadas.

Surpreende o desempenho sólido do campeão Paul Keres, que terminou a disputa invicto, com três vitórias e onze empates.

 

C:UsersUserDesktopkeres (1).jpg

Paul Keres na cerimônia de premiação

 

Classificação Final – AVRO 1938

 

No. Nome Desempenho Total
1 Paul Keres +3 =11
2 Reuben Fine +6 =5 -3
3 Mikhail Botvinnik +3 =9 -2
4 Max Euwe +4 =6 -4 7
5 Samuel Reshevsky +3 =8 -3 7
6  Alexander Alekhine +3 =8 -3 7
7 José Raul Capablanca +2 =8 -4 6
8  Salo Flohr = 9 -5

C:UsersUserDesktopkeres presencial (1).jpg

Após o título, Paul Keres foi recebido pelo presidente da Estônia, Konstantin Päts 

 

Depois de AVRO

O match entre o ex-campeão mundial Max Euwe e o campeão de AVRO, Paul Keres, aconteceu entre 1939 e 1940, com vitória de Keres por 7.5 x 6.5.

O estoniano era o desafiante moral do campeão Alekhine, porém, a falta de uma regulamentação prévia e o início da II Guerra Mundial impediram a realização do duelo.

Alekhine morreu em 1946 ainda como campeão mundial.

Somente dez anos após o Torneio de AVRO, em 1948, o título mundial mudou de mãos.

Dos cinco participantes do match torneio pelo Campeonato Mundial de 1948, quatro estiveram em AVRO: Paul Keres, Mikhail Botvinnik, Max Euwe e Samuel Reshevsky.

O outro participante em 1948 foi Vasily Smyslov. Botvinnik conquistou o título mundial com 14 pontos em 25 rodadas.

A ausência do vice-campeão de AVRO, Reuben Fine, no match torneio de 1948 ainda é motivo de debate.

 

O Legado de AVRO

AVRO 1938 foi um dos primeiros supertorneios, tão comuns nos dias de hoje.

C:UsersUserDesktopavro-players.jpg

AVRO 1938, da esquerda para a direita: Botvinnik, Reshevsky, Fine, Landau (representando Capablanca), Euwe, Alekhine, Flohr e  Keres

 

De fato, é subjetivo afirmar qual é o torneio mais forte da história. Mas não há dúvidas da importância histórica dessa competição e muitos afirmam que foi a maior de todas.

A competição marca o fim de uma era liderada por Capablanca, Euwe e Alekhine e o início de novos tempos sob o domínio de Botvinnik, Keres, Fine e Reshevsky.

 

Qual a melhor partida do torneio?

Também não é fácil mensurar qual foi a melhor partida do torneio. Mas conhecer as melhores partidas de AVRO 1938 é uma atividade obrigatória para qualquer enxadrista melhorar seu entendimento do jogo.

Os especialistas reconhecem a partida Botvinnik x Capablanca como uma das melhores de todos os tempos. Ela foi publicada em uma infinidade de livros.

O GM Rafael Leitão viu essa partida pela primeira vez aos 6 anos, estudando o livro “Xadrez Básico”.

Outra partida bastante conhecida é Fine x Botvinnik.

 

Na sua opinião, qual foi o torneio mais forte de todos os tempos? E qual a melhor partida de AVRO 1938? Deixe sua opinião nos comentários.

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

 

No Comments

Post a Reply