O Que É E Porque A Iniciativa É Tão Importante No Xadrez

A iniciativa no xadrez pode ser comparada com a posse de bola no futebol. Em ambos o casos trata-se da oportunidade de propor o jogo, ou seja, atacar primeiro. No xadrez, pelo direito de iniciar a partida, as brancas sempre começam com a iniciativa. Elas estão com a bola, enquanto as negras tentam o contra-ataque. 

Contudo, essa vantagem natural das brancas não é eterna. Um lance equivocado, ou um passe errado no caso do futebol, e a iniciativa / posse de bola foi para o adversário. Manter a iniciativa não é uma tarefa simples, pois a luta pela “bola” acontece em todas as jogadas. 

 

Como Jogar com a Iniciativa

Entender o conceito de iniciativa é fácil, porém, aplicá-lo nas partidas é difícil até mesmo para jogadores experientes. Quem joga com a iniciativa precisa encontrar lances que criem problemas ao adversário, o que requer cálculo preciso e o domínio dos principais conceitos estratégicos.

“Lances naturais” geralmente não são os mais apropriados para tomar ou manter a iniciativa. É preciso criar algum tipo de problema ao adversário, por exemplo: dificuldade no desenvolvimento, criação de uma nova debilidade, ataque a uma peça ou ao rei, ganho de espaço, entre outros.

Iniciativa no xadrez

Kasparov – Lutikov 1978

No último lance, as negras jogaram 4…Cbd7. Como você jogaria de brancas?

 

A partida acima tem relevância histórica porque foi o primeiro encontro de Garry Kasparov com um Grande Mestre. Jogam as brancas. Lances como 5.Be2, 5.Be3, por exemplo, são jogadas possíveis, porém, naturais. Kasparov mantém a iniciativa com 5.e5!, lance que requer o cálculo de algumas variantes: 5…dxe5 6.dxe5 Cxe5? 7.Dxd8 Txd8 8.Cxe5 ganhando ou ainda 5…Bxf3 6.Dxf3 dxe5 7.dxe5 Cxe5 8.Dxb7 com vantagem estratégica das brancas pelo par de bispos e pela estrutura de peões. Lutikov então optou por 5…Cg8 e ficou com sérios problemas de desenvolvimento, o que o levou a derrota posterior.

Também é importante notar que Kasparov aproveitou sua oportunidade ainda no quinto lance. Ou seja, a luta pela iniciativa acontece desde os primeiros movimentos, não é algo para se pensar apenas no meio-jogo. Um enxadrista desatento poderia jogar 5.Be2 com rapidez e perder uma chance de ouro de melhorar a posição. Por isso, para lutar pela iniciativa é importante desconfiar dos lances naturais e buscar jogadas agressivas.

 

Como Treinar o Jogo com a Iniciativa

Além de treinar o cálculo e os princípios básicos da estratégia, o enxadrista deve ver partidas de grandes jogadores que lutavam pela iniciativa a qualquer custa. Leonid Stein é um ótimo modelo, como citou o Grande Mestre Rafael Leitão em um artigo escrito sobre o tricampeão soviético.

 

Stein e Keres

Stein e Kasparov: dois gênios da iniciativa

 

Dono de um estilo de jogo clássico, que procurava a iniciativa a todo custo, suas partidas são uma fonte de aprendizado importante para jogadores que querem melhorar seu dinamismo. Vejam, por exemplo, o que ele foi capaz de fazer com o quase invencível Tigran Petrosian. [ Stein x Petrosian ]”, Rafael Leitão.

Outra opção para melhorar o entendimento desse conceito é analisar as partidas do próprio Garry Kasparov. O ex-campeão mundial se notabilizou pelo brilhante jogo com a iniciativa.

 

Você tem dificuldades para jogar com a iniciativa? Deixe sua opinião nos comentários.

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Ferreira da Cruz

4 Respostas a “O Que É E Porque A Iniciativa É Tão Importante No Xadrez”

  • Rafael

    Legal o artigo. Uma pergunta: no meu caso, costumo jogar sempre obcecado pela inciativa, ganho muitos jogos assim (1700 de ELO) , mas por vezes me vejo com dificuldade em saber quando ceder iniciativa de volta para me posicionar melhor, e acabo indo além do ponto.

    Quase sempre que perco é para um adversário que me deu a iniciativa o tempo todo e esperou o ponto em que eu fui longe demais rsrs Algum conselho? Imagino que melhorar o cáculo seja o óbvio. Mas sei lá, algo mais?

    Vinha até cogitando jogar cedendo mais a iniciativa, no contra-ataque, mudando de estilo, a a la Petrosian rsrs (aliás, fica a dica pra um futuro artigo, "jogando sem a iniciativa) ;)

    • Rafael Leitão

      Meu conselho é analisar essas partidas que você perdeu tendo a iniciativa e fazer um relatório com seus erros, tentando responder as seguintes perguntas: a) será que você tinha mesmo a iniciativa ou só achou que tinha? b) a estratégia do seu adversário foi "certa" ou "errada" do lado puramente enxadrístico? c) quais os erros graves que levaram a sua derrota? Eles foram erros de cálculo ou de entendimento (você não entendeu o que precisava fazer). Acho que isso vai ajudar muito.

    • Luiz

      Desculpa interferir
      No 1700 é na imprecisão que define quem perde.
      Se jogar na iniciativa é bom pq limita a quantidade de cálculos dentro daqueles q vc já conhece. Mas p um adversário atento basta uma imprecisão média pro jogo virar.

      • Rafael Leitão

        Você está redondamente enganado.

Deixe seu comentário