MI Roberto Molina é o Novo Campeão Brasileiro

MI Roberto Molina é o Novo Campeão Brasileiro

C:UsersUserDesktopmolina.jpg

 

Quando o sol nasceu em Natal-RN, no dia 07 de fevereiro, parecia que o título do 85º Campeonato Brasileiro Absoluto ficaria nas mãos do GM Krikor Mekhitarian. O enxadrista de ascendência armênia tinha um ponto de vantagem na grande final e dependia apenas de um empate (com as peças brancas) para se tornar tricampeão brasileiro. Porém, o MI Roberto Junio Brito Molina jogou um xadrez espetacular e conseguiu o inesperado. Venceu a última partida clássica em um lindo final, empatou o match em 2×2, e tornou-se o novo campeão brasileiro após uma vitória por 1,5 x 0,5 nas partidas rápidas.

 

C:UsersUserDesktopkrikor x molina.jpg

Molina e Mekhitarian fizeram uma grande final

 

Debate Judicial

O MI Roberto Molina venceu a semifinal 2 do Campeonato Brasileiro, realizada em Manaus, representando o estado do Acre. Porém, a Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) alegou que o enxadrista não estava federado pelo Acre no prazo regulamentar e, por essa razão, não o colocou entre os classificados para a final.

De acordo com Molina, o prazo regulamentar não estava escrito em nenhum local e o enxadrista acionou a Justiça para garantir a participação. A CBX recuou e o convidou para o Campeonato Brasileiro. Logo após, iniciou-se um debate em relação à nomenclatura de sua participação. Molina questiona o fato de ser um jogador classificado e não um convidado. Já em Natal-RN, o campeão passou por três delegacias antes do evento a fim de protestar seu direito de “classificado”. Por fim, Molina iniciou o torneio e as discussões jurídicas com a CBX seguem em curso.

 

A redação da Academia Rafael Leitão entrevistou o campeão logo após o título, confira os principais momentos.

Redação: Por todas essas situações extra tabuleiro, o título teve um sabor ainda mais especial?

Roberto Molina: Claro, a situação com a CBX deixa o título com uma sensação especial. Assim a gente prova que o xadrez é decidido no tabuleiro e não nos bastidores, na política.

Redação: A última partida clássica contra o Krikor foi a melhor da sua carreira?

Roberto Molina: Com certeza deve ter sido o melhor final de jogo da minha vida. Se for analisar o pacote completo (abertura, meio jogo e final), aí acho que outras partidas superam.

Redação: Você treinou com o Grande Mestre ucraniano, Alexander Goloshchapov (2578). Qual a contribuição dele para o seu xadrez e quais foram seus grandes mentores?

Roberto Molina: Sobre o Goloshchapov, ele me ajudou na época em que me tornei Mestre Internacional, me deu a sua visão de como estudar aberturas e a forma de sacar o momento crítico da partida.  O Julio Lapertosa me deu toda a base, depois tive aulas também com o Rafael Leitão, Gilberto Milos e treinei um tempo também com o próprio Krikor Mekhitarian. A gente aprende algo com todos. Com o Leitão, por exemplo, aprendi questões posicionais, com o Krikor a forma de preparar aberturas. Com o Milos a gente aprende de tudo, porque ele é especialista em tudo.

 

Mais Sobre o Novo Campeão Brasileiro

 

C:UsersUserDesktopmolina campeao.jpg

Molina com o troféu de Campeão Brasileiro

 

Roberto Junio Brito Molina nasceu em 12 de julho de 1985, em Minas Gerais. Aos sete anos aprendeu a jogar xadrez com os pais, porém, começou a se dedicar realmente ao xadrez aos 14 anos de idade. Tornou-se Mestre FIDE aos 21 anos e Mestre Internacional aos 25. Possui duas normas de GM e chegou aos 2470 pontos de rating. Além da terra natal, também viveu nos estados de Santa Catarina, Bahia e Acre.

 

A Campanha do Título

Na primeira rodada o MI Roberto Molina eliminou o MN Vitor Firmo de Souza Rocha, por 2×0. Nas quartas de final, Molina venceu o GM Evandro Barbosa por 1,5 x 0,5 em um match emocionante com chances para ambos os lados. Essa fase da competição foi marcada pela surpreendente eliminação do GM Alexandr Fier, derrota por 1,5 x 0,5 para o MF Diogo Duarte Guimarães.

 

C:UsersUserDesktopdiogo.jpg

MF Diogo Duarte Guimarães eliminou o então campeão, GM Alexandr Fier

 

Nas semifinais, Molina venceu o MF Diogo Duarte por 1,5 x 0,5, enquanto o GM Krikor Mekhitarian derrotou o GM Darcy Lima pelo mesmo placar. Como já mencionado, o MI Molina derrotou o GM Mekhitarian na final por 3.5 x 2.5. Os desempates da final foram transmitidos ao vivo com comentários do GM Rafael Leitão e do MI Renato Quintiliano. A CBX também realizou transmissões ao vivo de todo o torneio.

 

Confira os resultados completos do 85º Campeonato Brasileiro Absoluto.

 

Fotos: Claudia Aquino, Confederação Brasileira de Xadrez.

 

A fórmula atual do Campeonato Brasileiro Absoluto é positiva para o xadrez? Deixe sua opinião nos comentários.

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

6 Respostas a “MI Roberto Molina é o Novo Campeão Brasileiro”

  • REGINA RODRIGUES BONFIM

    Positivo.

  • Fernando Sarges

    Gostaria de saber porque a participação de poucos GM's no campeonato?
    Como por exemplo: Supi, Henrique, leitão...Onde estavam?

  • Stenio

    Jogos eliminatórios são muito injustos pois não dá chance para ninguém se recuperar de uma derrota inesperada. A prova disso é um GM (atual campeão) perde para um MF que em seguida também perde. O MF deve ter seus méritos, mas se fossem oito ou dez rodadas o GM poderia se recuperar e talvez ser campeão. De qualquer forma parabéns ao professor Molina que, pelo visto, jogou uma barbaridade.

  • Ivan Tadeu Couto Rojas

    Já faz mais de uma semana que Molina é campeão. O artigo demorou um pouco para aparecer aqui no site não?
    Todos os demais sites de xadrez repercutiram o fato no próprio dia ou no seguinte.
    Estavam muito ocupados?

    • Rafael Leitão

      Eu publico o artigo quando é possível. Mas você pode visitar os sites que repercutem mais rápido. "Repercutir" rápido não é e nunca será o propósito do meu site.

  • Ivan Tadeu Couto Rojas

    De qualquer forma parabéns pela entrevista.

Deixe seu comentário