O Ato de Pal Benko que Mudou a História do Xadrez

No dia 26 de agosto de 2019 faleceu o Grande Mestre Pal Benko, aos 91 anos. Benko marcou o xadrez mundial de diversas maneiras, mas vamos começar sua história pelo ano de 1969, quando terminou na terceira colocação do Campeonato Nacional dos Estados Unidos. 

 

20th US Championship and World Championship Zonal; 1969

November 30 – December 17 – New York, NY

              

  1. Reshevsky   8,0/11
  2. Addison      7,5
  3. Benko        7,0 
  4. Lombardy   6,0  
  5. Byrne, D.    5,5
  6. Evans         5,5
  7. Mednis        5,5
  8. Zuckerman  5,5
  9. Bisguier       4,5
  10. Byrne, R.    4,5
  11. Saidy          4,5
  12. Burger        2,0 

 

O Campeonato Nacional dos Estados Unidos classificou três enxadristas para o Interzonal de 1970, em Palma de Mallorca. Bobby Fischer não disputou a competição nacional. Na ocasião, Fischer afirmou que o torneio era “muito curto”. Como o campeonato americano era o primeiro passo no ciclo do Campeonato Mundial de 1972, Fischer não teria mais chances de disputar o título mundial.

 

Benko Ajuda Fischer

Entretanto, o enxadrista Paul Benko desistiu de sua vaga no Interzonal para que Bobby Fischer pudesse participar. Fischer conquistou o título do Interzonal com 3,5 pontos de diferença para os demais concorrentes e o resto dessa história todo mundo já conhece. 

Naturalmente, muitos pensaram que Paul Benko havia sido pago para conceder a vaga. Ainda em 1975, o enxadrista ofereceu sua versão dos fatos para a revista Chess Life & Review:

“A ideia de dar a vaga para Fischer foi minha. Isso foi feito voluntariamente e sem pressão de ninguém. Eu senti que, como um dos jogadores mais fortes do mundo, ele deveria ter o direito de participar desse Interzonal crítico. A Federação de Xadrez dos Estados Unidos sempre me tratou muito bem e eu quis demonstrar minha gratidão. A Federação me deu a oportunidade de classificar para o Interzonal de Amsterdã – 1964, porque organizou um match com Bisguier. Ele havia se classificado e eu não. Também há muitas outras coisas pelas quais sou grato a Federação de Xadrez dos Estados Unidos”. 

 “A quantia de US$ 2 mil dólares é às vezes mencionada como o preço para deixar a disputa. Na verdade, essa taxa foi paga pelos meus serviços como segundo de Reshevsky e Addison naquele torneio e é a mesma quantia que eu teria recebido se tivesse realmente jogado. A única condição que eu pedi para deixar a vaga era que Fischer concordasse em não se retirar do Interzonal ou das fases seguintes se ele se classificasse, e ele cumpriu essa condição”. 

Keres jogando com o jovem Fischer e Benko em pé observando

 

Carreira Vitoriosa

Além do apoio a Fischer, Benko também possui uma carreira vitoriosa, com participações nos Torneios de Candidatos de 1959 (8ª colocação) e 1962 (6ª colocação). Paul Benko segue como o maior campeão da história do US Open, oito títulos entre as décadas de 1960 e 1970.

Disputou sete Olimpíadas de Xadrez. A primeira em 1956, quando ajudou a Hungria a conquistar a medalha de bronze. As demais participações, entre 1962 e 1972, ocorreram pela seleção dos Estados Unidos. Destaque para a medalha de prata por equipes em 1966 e a prata individual no segundo tabuleiro em 1962. 

Benko venceu quatro campeões mundiais: Fischer, Tal, Petrosian e Smyslov. O enxadrista enfrentou Bobby Fischer em 18 ocasiões com três vitórias, sete empates e oito derrotas. 

 

Também há de se mencionar a abertura que leva o seu nome, o “Gambito Benko” (1.d4 Cf6, 2. c4 c5, 3.d5 b5). “Eu criei um monstro, achei necessário recorrer a outras aberturas em meados dos anos setenta”, afirmou sobre sua criação. Benko também foi um compositor de estudos e problemas, recebeu o título de Mestre Internacional de Composição de Xadrez pela FIDE. Destaque também para a sua autobiografia “My Life, Games, and Compositions” de 2003.

Autobiografia de Pal Benko – Um livro espetacular

 

Vida de Lutas

Paul Benko nasceu no dia 15 de julho de 1928 em Amiens, na França, durante uma viagem de família. Passou a infância na Hungria onde aprendeu a jogar xadrez com o pai, aos 10 anos. Sofreu com a II Guerra Mundial, quando foi levado ao exército ainda na juventude. Dedicou-se ao ofício de contador no período pós-guerra.

Disputou um torneio na Alemanha Oriental em 1952.  Quando tentou desertar para a embaixada americana em Berlim Ocidental, foi preso e interrogado por três semanas. Acusado de espionagem, foi mantido em um campo de concentração durante um ano e meio. Só conseguiu a liberdade com a morte de Stalin, em 1953. Na ocasião o líder húngaro, Imre Nagy, anistiou muitos prisioneiros. 

Cinco anos após a libertação, Benko finalmente desertou para os Estados Unidos. Como estudou economia na Hungria, trabalhou na Bolsa de Valores de Nova York. Decidiu se dedicar a carreira de enxadrista apenas quando se classificou para o Torneio de Candidatos de 1959. Deixou sua esposa, dois filhos e um neto. 

Spassky x Benko

 

O que você acha que teria acontecido caso Benko não tivesse deixado a vaga no Interzonal de 1970 para Bobby Fischer? Deixe sua opinião nos comentários.

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

 

Texto escrito pelo MF William Cruz. 

 

 

3 Respostas a “O Ato de Pal Benko que Mudou a História do Xadrez”

  • Luiz Gustavo

    Se Fischer não tivesse jogado o interzonal acredito que teríamos o terceiro match entre Spassky e Petrosian. Também acho que Spassky manteria o título diante de Petrosian.

  • Luiz Gustavo

    Por sinal, gostaria de saber a opinião do Rafael Leitão. Obrigado!

    • Rafael Leitão

      Concordo com você!

Deixe seu comentário