Vachier-Lagrave Desabafa Sobre Torneio de Candidatos: “Triste de Não Estar Lá”

Calendário apertado, excesso de partidas e pouco tempo de descanso. Esse poderia ser o resumo do ano de vários clubes do futebol brasileiro, mas reflete o 2019 de Maxime Vachier-Lagrave. Aos 29 anos, o sétimo colocado no ranking da FIDE (2770 pontos da lista de janeiro 2020) lutou de quase todas as maneiras para se classificar ao Torneio de Candidatos, mas o objetivo não foi alcançado. Em entrevista para o Chess.com, o francês falou da decepção de ficar de fora da disputa, confira os principais momentos da entrevista.

 

Frustração 

MVL: Será um pouco triste não estar lá (no Torneio de Candidatos), embora eu ache que fiz o suficiente este ano para merecer um lugar, mas isso é outra história. Nem sempre funciona assim nos esportes.

 

Chances Desperdiçadas

MVL: Eu joguei de maneira horrível a última parte dos torneios. A fadiga física e a exaustão apareceram nas rodadas finais. Mesmo no último match com o Ian, eu perdi algumas oportunidades, especialmente uma para recuperar a desvantagem, mas naquele momento minha cabeça não funcionou. Meu cérebro desligou, o mesmo aconteceu na Copa do Mundo, quando meu cérebro desligou por cerca de 10 minutos. Claramente, o cansaço apareceu. A Copa do Mundo foi o fim de uma maratona de quatro meses.

 

Vaga por Indicação

MVL: Do meu ponto de vista, nenhum jogador roubou o lugar de outro, por assim dizer. Só que alguns deles tiveram um caminho mais fácil do que outros. Isso não é justo. A classificação para o Torneio Candidatos deve ser igualmente difícil para todos. Esta é a principal mensagem que desejo enviar. Dizem que a vaga por indicação ajuda a encontrar um patrocinador, mas eu acho que a FIDE está trabalhando duro para conseguir novos patrocinadores a fim de tornar o xadrez mais popular. Creio que, em geral, o xadrez é muito mais popular do que há cinco anos, ou talvez até dez, então há espaço para conviver sem convite oficial. 

 

Vachier Lagrave

Calendário

MVL: Eu joguei xadrez por 130 dias no ano passado, isso aconteceu devido uma agenda insana. Tanto a FIDE quanto o Grand Chess Tour (GCT) não realizaram torneios nos primeiros quatro meses do ano. O segundo semestre ficou sobrecarregado, eu devo ter ficado em casa no máximo um mês e meio. Tirei uns dias livres em outubro, mas, além disso, não tive folga. Não acho que a FIDE deva ser responsabilizada por tudo, mas acho que eles e o Grand Chess Tour poderiam ter coordenado melhor os eventos.

Agenda MVL no segundo semestre de 2019:

  • 24/06 a 09/07 – Croácia GCT (Clássico)
  • 12 a 24/07 – Letônia Grand Prix
  • 26/07 a 02/08 – Paris Rapid & Blitz GCT
  • 08 a 15/08 – Saint Louis Rapid & Blitz GCT
  • 15 a 30/08 – Sinquefield Cup (Clássico) GCT
  • 09/09 a 04/10 – Copa do Mundo 
  • 5 a 17/11 – Alemanha Grand Prix
  • 11 a 23/12 – Israel Grand Prix
  • 25 a 30/12 – Campeonato Mundial de Rápido e Blitz.

 

MVL Deveria Ter se Poupado?

MVL: Se eu quisesse maximizar as minhas chances de classificação para o Torneio de Candidatos, talvez. Houve um debate sobre se eu deveria participar ou não do Grand Chess Tour. No entanto, acho que ninguém, além do Kramnik, que estava se aposentando, recusou o convite. É uma decisão muito difícil de tomar, eu senti que poderia jogar. O GCT é um dos eventos com melhor premiação, mas não é essa a questão. É também um dos eventos com maior aprendizado, porque enfrentasse todos os melhores jogadores do mundo. Seja como for, no momento não senti a necessidade de perdê-lo.

Maxime Vachier-Lagrave faturou $200 mil dólares no total dos eventos disputados pelo Grand Chess Tour.

 

Ausência no Grand Swiss 

Torneio realizado de 10 a 21 de outubro em Isle Of Man. O campeão garantiu vaga no Torneio de Candidatos. Essa foi a única das classificatórias que Vachier-Lagrave não disputou. 

MVL: De fato, adicionar um único evento ao meu calendário teria sido demais, mesmo que o torneio tenha sido realmente interessante. Depois de ter disputado uma Copa do Mundo por um mês, não consegui me ver voltando uma semana depois e não distribuindo um bom número de pontos de rating.

 

Rating Médio 

Anish Giri teve a maior média de rating do ano e por isso se classificou para o Torneio de Candidatos. Vachier-Lagrave ficou em segundo.

MVL: Esse critério é matematicamente incorreto. Isso não foi sentido em 2017 porque os resultados eram normais e, este ano, não teríamos sentido se Ding Liren tivesse se classificado por rating. Se você começar o ano com um rating mais alto, poderá ter resultados piores ou iguais e terminar à frente. Com o sistema atual, vou dar um exemplo significativo, digamos que você tenha dois jogadores com 2780 no início do ano – independentemente da limitação no número de jogos, mas apenas para ser esquemático – se alguém joga apenas um torneio em fevereiro e ganha 15 pontos e o outro joga seu único torneio em dezembro e ganha 50 pontos, este último será completamente esmagado pelo primeiro. É totalmente ilógico. Acho que o rating performance de um torneio ou de um determinado período é um critério muito melhor. Pra ser sincero, creio que o Leinier Dominguez é o enxadrista com melhor performance.

 

Aprendizado

MVL: Eu tiro lições valiosas. Eu posso reclamar de como as coisas foram organizadas, mas é fato que eu não joguei o suficiente, por isso tenho espaço pra melhorar. Ding Liren se classificou por rating e ainda chegou à final da Copa do Mundo pela segunda vez consecutiva. Alguns aspectos não funcionaram pra mim e meu ano foi muito pior que o dele. Então, se eu quiser melhorar e me classificar, devo estar no mesmo nível do Ding, o que não é uma tarefa fácil. Esse é o tipo de objetivo que devo buscar se não quiser depender de eventos externos.

 

O enxadrista francês conseguirá dar a volta por cima e disputar o Torneio de Candidatos 2022? Deixe sua opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Cruz

Entrevista completa 

One Reply to “Vachier-Lagrave Desabafa Sobre Torneio de Candidatos: “Triste de Não Estar Lá””

  • Hildeberto

    Acho que essa agenda lotada não foi decisão dele. Provavelmente patrocinadores. E sendo assim ele nunca vai dar nome aos bois.

Deixe seu comentário