Geller, o Enxadrista Capaz de Vencer os Melhores

Geller, o Enxadrista Capaz de Vencer os Melhores

Efim Petrovich Geller nasceu em Odessa (Ucrânia) no ano de 1925. Conhecido pela sua erudição nas aberturas e seu estilo agudo de ataque, participou do Torneio de Candidatos em seis ocasiões entre 1953 e 1971.

 

Está sem tempo para ler agora? Escute a versão em áudio!

 

Nunca conquistou o direito de lutar pelo título mundial. No entanto, tinha um escore favorável ou igualado contra quase todos os campeões mundiais que enfrentou.

 

C:UsersUserDesktopgeller.jpg

 

Início Surpreendente

A primeira aparição de Geller na elite aconteceu no Campeonato Soviético de 1949, realizado em Moscou. Antes da última rodada, o ucraniano liderava a disputa com meio ponto de vantagem sobre Smyslov e Bronstein.

Geller, porém, perdeu para Kholmov na última rodada e terminou em terceiro. De qualquer maneira o enxadrista teve um desempenho muito positivo perante vários dos melhores da época.

Curiosamente, Geller também venceu o então campeão mundial, Mikhail Botvinnik nas duas partidas seguintes entre ambos. Tanto no Campeonato Soviético de 1951 quanto no Memorial Maroczy de 1952, Geller levou a melhor. Um feito incrível para qualquer enxadrista, ainda mais para quem tentava se consolidar na elite.

 

Defesa Preferida

Uma das grandes vitórias de Geller contra Botvinnik aconteceu na Defesa Índia do Rei. Esse resultado foi fundamental para a popularidade desta abertura, visto que até o campeão mundial não conseguia controlá-la.

Geller se tornou um dos grandes adeptos e trouxe inúmeras ideias originais na Defesa Índia do Rei, influenciando as gerações seguintes, incluindo Garry Kasparov, que estudou minuciosamente as partidas de Geller sob a orientação do próprio Botvinnik.

 

Campeão Soviético

E foi com a Defesa Índia do Rei que Geller venceu o seu primeiro Campeonato Soviético, em 1955, após um match duro com Smyslov (5 empates e 1 vitória). Vale ressaltar que neste evento Geller também superou lendas como Botvinnik, Petrosian, Spassky e Keres.

Geller voltou a ser campeão soviético em 1979, aos 54 anos, superando os jovens Yusupov, Balashov e o próprio Kasparov.

 

Pedra no Sapato de Fischer

Geller é um dos poucos enxadristas da história a ter um placar favorável com Bobby Fischer: 5 vitórias, 3 derrotas e 2 empates. Um dos grandes duelos entre ambos aconteceu no Torneio de Candidatos de Curaçao, em 1962. Na ocasião, Geller derrotou Fischer por 2,5 x 1,5.

[Confira uma das grandes vitórias de Geller contra Fischer.]

C:UsersUserDesktopGeller x Fischer 1962.jpeg

Geller x Fischer – Curaçao, 1962

 

Campeonato Mundial

Como já informado, Geller disputou seis Torneios de Candidatos. Em Zurique, 1953, terminou na honrosa sexta colocação entre os 15 participantes. Em Amsterdã, 1956, compartilhou a terceira colocação com outros cinco enxadristas, a dois pontos do campeão Smyslov. Em Curaçao, 1962, compartilhou a segunda colocação com Keres, a meio ponto de Petrosian.

Em 1965 o formato eliminatório passou a ser adotado. Geller venceu Smyslov por 5,5 x 2,5 nas quartas de final e perdeu pelo mesmo placar para Spassky. Em 1968, outra derrota para Spassky por 5,5 x 2,5. Placar que também se repetiu em 1971, na derrota para Korchnoi.

 

Campeão Mundial de Veteranos

Geller também foi vice-campeão mundial de veteranos em 1991, quando perdeu o título nos critérios de desempate para Smyslov. No ano seguinte, porém, Geller conquistou seu título mundial.

 

Capaz de Vencer Qualquer Um

Você consegue imaginar a categoria de um jogador que era capaz de superar todos os campeões mundiais e vice-campeões do seu tempo? Sem dúvida Geller tinha um cérebro incansável, capaz de buscar sem cessar novos esquemas em uma época onde a teoria de aberturas estava sendo desbravada. Faleceu em 1998, aos 73 anos.

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Ferreira da Cruz

Referências:

Garry Kasparov – Meus Grandes Predecessores, Volume 2

https://www.chessgames.com/perl/chess.pl?pid=19233&pid2=15712

 

 

3 Respostas a “Geller, o Enxadrista Capaz de Vencer os Melhores”

  • LAERTE FERRAZ ALENCAR

    Artigo muito bom, só precisa corrigir o erro de português: a meio ponto e não há meio ponto.

    • Rafael Leitão

      Corrigido, obrigado!

Deixe seu comentário