Grandes Torneios de Xadrez: San Sebastian 1911

Grandes Torneios: San Sebastián – 1911

 

Convidado Inesperado

Em 1909, José Raúl Capablanca venceu um match contra o americano Frank Marshall, em Nova Iorque, por 8×1, com 14 empates. Um resultado assombroso, visto que Marshall estava entre os melhores enxadristas do mundo e Capablanca ainda era apenas um rapaz de 21 anos.

 

Está sem tempo para ler o artigo? Escute a versão em áudio!

 

O resultado desse match fez com que o enxadrista cubano fosse convidado para o grande torneio de San Sebastián (Espanha) – 1911, o primeiro torneio internacional de Capablanca.

C:UsersUserDesktopCapablanca.jpg

Jantar em San Sebastián, Capablanca sentado no centro da mesa

 

Só Faltou Lasker

A competição reuniu as principais estrelas da época, com exceção do então campeão mundial, Emanuel Lasker. Vale ressaltar que, em 1911, Alexandr Alekhine tinha apenas 19 anos e ainda estava desenvolvendo o seu jogo para enfrentar os melhores.

Voltando a San Sebastián, a organização do torneio foi exigente e, com exceção de Capablanca, só convidou os mestres que conseguiram, pelo menos, duas quartas colocações em torneios da década anterior.

Entre os 15 participantes, vale mencionar os seguintes enxadristas: Akiba Rubinstein, Siegbert Tarrasch, Frank Marshall, Aron Nimzowitsch, Carl Schlechter e David Janowski. Todos candidatos sérios ao título mundial ou participantes das disputas anteriores.

 

C:UsersUserDesktopsan_sebastian_1911.jpg

Os jogadores do torneio

 

Enxadristas Questionam a Participação de “Capa”

Curiosamente, em função da força da competição, alguns enxadristas foram contrários à participação de Capablanca no torneio. “Um deles era o Dr. Bernstein, contra quem tive a sorte de enfrentar na primeira rodada e vencê-lo de tal forma que conquistei o prêmio pela partida mais brilhante do torneio”, afirmou Capablanca.

Depois dessa vitória, Capablanca deixou de ser um considerado uma presa fácil entre os seus rivais. O fato é que após a quinta rodada, o jovem cubano já liderava a competição de forma isolada com 3 vitórias e 2 empates.

 

Rubinstein na Briga pelo Título

Rubinstein, que naquele momento era considerado o sucessor natural de Lasker, era apenas o 7º colocado com 2,5 pontos em 5 rodadas. Contudo, após 10 rodadas, Capablanca seguia na frente com 7,5 em 10, já seguido de perto por Rubinstein, com 6,5.

A disputa ficou realmente tensa na 13ª rodada, quando o poderoso Akiba venceu Capablanca e assumiu a liderança nos desempates com 8,5 pontos. Porém, Capablanca tinha duas rodadas pela frente, enquanto Rubinstein apenas uma.

 

Capablanca Campeão

Por fim, dois empates nas últimas duas rodadas foram suficientes para Capablanca garantir o título. O enxadrista cubano terminou com 9,5 pontos, meio ponto na frente de Rubinstein e de Milan Vidmar, da Iugoslávia, que também teve uma brilhante atuação.

Mais tarde, Capablanca declarou que a sua vitória foi um feito ainda mais brilhante que o título de Pillsbury, em Hastings – 1895. Porém, na opinião de Kasparov, essa afirmação é um pouco exagerada: “Pillsbury deixou para trás toda a elite, incluindo o campeão mundial, Lasker”.

De todo modo, o título do torneio de San Sebastián – 1911 foi um grande feito do enxadrista cubano. Essa vitória o colocou na direção das disputas pelo título mundial, embora, esse fato só fosse se concretizar uma década depois.

 

Classificação Final              

1 Capablanca – 9½

2 Rubinstein – 9

3 Vidmar – 9

4 Marshall – 8½

5 Tarrasch – 7½

6 Schlechter – 7½

7 Nimzowitsch – 7½

8 Bernstein – 7

9 Spielmann – 7

10 Teichmann – 6½

11 Maroczy – 6

12 Janowski – 6

13 Burn – 5

14 Duras – 5

15 Leonhardt – 4

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Ferreira da Cruz.

Referências bibliográficas: Meus Grandes Predecessores, Garry Kasparov – Volume 1

No comments

Deixe seu comentário