Tudo Que Você Precisa Saber Sobre as Olimpíadas de Xadrez

Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre as Olimpíadas de Xadrez

 

Vai começar a festa! No próximo domingo (23), começa a 43ª Olimpíada de Xadrez, em Batumi, na Geórgia. O domingo será um dia tranquilo com a tradicional Cerimônia de Abertura. Partida mesmo só na segunda-feira (24), a partir das 8 horas no horário de Brasília. Portanto, prepare o café da manhã para não perder um detalhe sequer.

Onze rodadas serão disputadas até o próximo dia 06 de outubro. Os confrontos possuem um ritmo de 1 hora e 30 minutos para os 40 primeiros lances, mais 30 minutos para o restante, com 30 segundos de incremento desde o primeiro movimento.

C:UsersUserDesktopbatumi.jpg

Como de costume, dois torneios serão realizados em Batumi, um absoluto – porque aceita a participação de homens e mulheres – e outro feminino. Ao todo, 179 federações são esperadas na 43ª edição das Olimpíadas de Xadrez.

 

Bulgária Banida

C:UsersUserDesktoptopalov.jpg

“Como assim? Eu não poderei jogar em Batumi?”

 

A edição de 2016, em Baku, no Azerbaijão, foi a maior da história com 180 federações representadas. A Olimpíada de Batumi não deve chegar a esse número porque a Bulgária foi banida pela FIDE por supostas irregularidades administrativas.  Os fãs de Veselin Topalov não poderão acompanhar o ex-campeão mundial em ação.

 

Magnus Carlsen de Fora

C:UsersUserDesktopcarlsen preparação.jpg

“Silêncio, por favor, preciso manter o foco aqui”

 

O campeão mundial se recusou a defender a Noruega na Olimpíada. Sua decisão é natural, afinal, em novembro Magnus Carlsen defenderá seu título contra Fabiano Caruana e a preparação deve estar a mil por hora. Em Baku 2016, a Noruega conquistou a histórica quinta colocação, porém, sem Carlsen e também com a ausência de Jon Ludvig Hammer (2662), os noruegueses chegam a Batumi sem grandes expectativas.

 

Outras Ausências

Além de Carlsen e Topalov, outros três enxadristas do top 30 não disputarão as Olimpíadas de Xadrez: os russos Alexander Grischuk (2769) e Peter Svidler (2756), além do húngaro Richard Rapport (2723). Rapport deve fazer mais falta para a Hungria do que Grischuk e Svidler para a poderosa Rússia.

As ex-campeãs mundiais Hou Yifan (2658) e Tan Zhongyi (2527) também não aparecem entre as confirmadas da equipe chinesa. Essas baixas deixam o torneio feminino equilibrado.

 

Cuba em Crise

C:UsersUserDesktopLeinier-Dominguez-y-Lazaro-Bruzon,-1-y-2-de-Cuba-561.jpg

Os desfalques cubanos são uma lástima

 

A equipe cubana teve uma participação histórica em Tromso 2014, quando terminou na 7ª colocação. Contudo, os três melhores enxadristas da ilha não representarão o país em Batumi por problemas com o governo cubano. Sem entrar no mérito da questão, Cuba não será a mesma sem Leinier Domínguez (2739), Lázaro Bruzón (2653) e Yuniesky Quesada (2622).

 

Equipes do Brasil

No absoluto, o Brasil vem com Rafael Leitão (2620), seguido por Alexandr Fier (2558), Luis Paulo Supi (2548), Krikor Mekhitarian (2543) e Felipe El Debs (2542). O capitão será o Grande Mestre e escritor ucraniano, Viktor Moskalenko.

Já no feminino, o time do Brasil será composto por: Juliana Terao (2255), Julia Alboredo (2174), Kathie Librelato (2110), Ana Rothebarth (2063) e Suzana Chang (2037). O capitão será o MI argentino Leandro Krysa.

 

Palpites da Redação

C:UsersUserDesktoptears.jpg

Ni Hua e Wang Yue em lágrimas após o ouro chinês de 2014. Redação aposta nos chineses em Batumi

 

No Absoluto, a Redação não aposta no bicampeonato dos Estados Unidos. O time é o mesmo de dois anos e com o maior rating médio da competição, contudo, Fabiano Caruana está focado no match com Carlsen e não fará grandes atuações, o que prejudicará a equipe como um todo. Os americanos vêm com Caruana (2827), Wesley So (2776), Nakamura (2763), Shankland (2722) e Ray Robson (2682).

Deste modo, o título ficará com a China, a terceira equipe com maior rating médio do torneio. O super time chinês é formado por: Ding Liren (2804) Yu Yangyi (2765), Wei Yi (2742), Bu Xiangzhi (2712) e Li Chao b (2708).

Também vale destacar a força da equipe russa, a segunda equipe classificada por rating médio e sempre uma das favoritas ao título: Kramnik (2779), Nepomniachtchi (2768), Karjakin (2760), Jakovenko (2747) e Vitiugov (2726).

Top cinco da Redação da Academia Rafael Leitão: 1-China, 2-Estados Unidos, 3- Índia, 4- Ucrânia e 5- Rússia. Já no feminino, com a ausência de duas das principais enxadristas chinesas, o título deve ficar com a Rússia, seguido por Ucrânia, China, Índia e Geórgia.

 

Quem deseja torcer para o GM Rafael Leitão e para as equipes brasileiras deve acompanhar as transmissões no site oficial do evento. Outras informações também estarão disponíveis no chess-results.

 

Você concorda com a escolha dos capitães estrangeiros? E o que achou dos palpites da redação?  Deixe sua opinião nos comentários.

 

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

3 Respostas a “Tudo Que Você Precisa Saber Sobre as Olimpíadas de Xadrez”

  • Rubens Gonçalves Jr

    Excelente matéria! Inclusive acredito que o Carlsen deverá pegar algumas boas dicas analisando a atuação do Caruana nesse torneio. Talvez melhor tivesse sido o Fabiano se abster da competição, como optou o norueguês.

  • RODRIGO

    QUEM O BRASIL ENFRENTA?

  • Jorge

    Sou fã do Magnus! Na minha opinião, se for comparar o conjunto da obra, ele é sem duvida o jogador mais completo de todos os tempos. Porque mais completo e não o melhor? Acho perigoso quando alguém tenta rotular algum jogador de xadrez como o melhor do mundo de todos os tempos, ao longo da historia do xadrez tivemos tantos jogadores fantásticos, que fica impossível querer dar a coroa de melhor para um jogador em especifico. Lembrei agora de uma pergunta que um repórter fez ao Pelé uma vez: Pelé, se você jogasse nos dias de hoje, você conseguiria se sobressair como fez no passado? Ele responde com outra pergunta: " Se Michelangelo fosse vivo, com os pinceis e a tecnologia das tintas de hoje, ele pintaria melhor ou pior do que pintou no passado? O mesmo vale para os GMs do passado, imagina alguns monstros como Tal, Lasker, Capablanca, Alekhine, Botvinnik, Morphy entre outros, estudando com as engines de hoje. Não coloquei o Fischer, porque na minha opinião ele é fora da curva, principalmente nas posições fora da teoria, pra mim ele foi o jogador com o estilo e imaginação mais forte de todos os tempos.

Deixe seu comentário