100 Anos do Match Lasker x Capablanca

100 Anos do Match Lasker x Capablanca

O ano de 2021 marca os 100 anos de um dos maiores duelos da história do xadrez. O enxadrista alemão, Emanuel Lasker, era campeão mundial desde 1894, quando derrotou Wilhelm Steintz. Nesses 27 anos entre 1984 e 1921, Lasker defendeu a coroa com sucesso em diversas ocasiões. Por outro lado, naquele ano enfrentaria um jovem enxadrista cubano, que estava em plena ascensão.

 

Está sem tempo para ler o artigo? Escute a versão em áudio!

 

C:UsersUserDesktop3 (1).jpg

Capablanca x Lasker

 

Pré-Match

No início de 1920, Lasker e José Raúl Capablanca se reuniram em Haia, na Holanda, e firmaram um acordo para a disputa do match pelo título mundial. O campeão tinha o desejo de jogar na Holanda e nos Estados Unidos, porém, não houve uma proposta financeira suficientemente boa para que isso se concretizasse.

 

Lasker Renuncia ao Título

Meses depois, insatisfeito com as negociações, o campeão mundial renunciou ao título em favor de Capablanca. Felizmente o mundo do xadrez não aceitou um presente assim por parte de um campeão indiscutível, com tanto tempo de reinado.

O match foi salvo por admiradores cubanos de Capablanca, que fizeram um esforço e conseguiram a soma recorde de $20 mil dólares para o duelo. Em princípio, Lasker havia dito que não se rebaixaria jogando no país do desafiante, porém, o enxadrista estava economicamente arruinado pela I Guerra Mundial e não resistiu à oferta.

 

Sistema de Disputa

O match foi disputado na cidade de Havana, entre os dias 15 de março e 28 de abril, em melhor de 24 partidas, sistema que se notabilizou na segunda metade do século XX. O ritmo de jogo foi de duas horas para cada 30 lances. Lasker sugeriu que as partidas fossem de propriedade dos jogadores, com direito exclusivo de publicação. Contudo, os jornalistas presentes em Cuba distribuíram os textos dos jogos para todo o mundo, o que deixou a regra obsoleta.

 

Início Equilibrado

As quatro primeiras partidas terminaram em empate, o que estava de acordo com os objetivos do campeão.  “Não fiz um treinamento intensivo para o match. Os poucos dias que tive antes do duelo passei tentando me ambientar, esperando realizar o aquecimento durante as próprias partidas, como em outras ocasiões já havia feito”, afirmou o veterano Lasker, de 52 anos.

 

 A Primeira Vitória de Capablanca  

A primeira partida com vitória foi a quinta. Lasker sofreu na abertura, mas depois exibiu recursos brilhantes para manter-se no jogo, porém, com uma “pendurada garrafal” perdeu no ato.

C:UsersUserDesktopLasker x Capablanca.jpg

Na posição do diagrama, Lasker jogou 45…Rf8?? e perdeu uma peça após 46.Db8+

[Clique aqui para ver a partida completa]

 

As quatro próximas partidas também terminaram em empate e, na opinião de Kasparov: “O maior problema de Lasker não foram os erros em si, mas o fato de que não era capaz de criar problemas a Capablanca”.

 

O Momento Crítico

Provavelmente, o momento mais importante do match aconteceu na partida 10. Com as peças brancas, Lasker conseguiu uma posição vantajosa na abertura, porém, os padrões de ataque em uma posição de peão isolado não haviam sido desmistificados e o campeão acabou dominado na luta estratégica entre o peão de d4 contra o peão negro de c6.

 

C:UsersUserDesktop2.jpg

Posição após 22… Tfd8. Com as peças pretas Capablanca deu um show nessa partida

Perdendo por 2×0, o campeão tentou mudar o rumo das coisas na partida seguinte. Com as negras, Lasker amontoou suas peças nas duas primeiras fileiras, assim como fazia Steinitz, e foi completamente dominado: 3×0.

 

Capablanca Campeão Mundial

A 14ª partida foi a última do match. Lasker levou um golpe relativamente simples, perdeu uma qualidade e em consequência a partida. Reclamando de dores na cabeça, abandonou o match por recomendação médica. O placar final foi de quatro vitórias de Capablanca e dez empates.

Lasker sofreu sua derrota com dignidade e generosidade:

“O jogo de Capablanca me apresentou problemas genuínos. Suas jogadas são claras, lógicas e fortes. Nelas, não parece haver nada oculto, artificial. Ainda que sejam transparentes, não são banais, pelo contrário, são extremamente profundas. Capablanca não gosta de posições confusas, ele quer saber onde está pisando. A profundidade do seu jogo é a de um matemático e não de um poeta. Quando Steinitz perdeu pra mim, se levantou e exclamou: “Viva o novo campeão do mundo!” Aquelas palavras chegaram até a minha alma e isso me obriga a parabenizar o novo campeão com as mesmas palavras.”

 

Opinião de Kasparov

No livro “Meus Grandes Predecessores, Volume 1”, Garry Kasparov coloca sua opinião sobre o match. “Lasker não jogou no nível que poderia. Sem dúvida, jogar na quente Havana deixou as coisas mais difíceis para o campeão de 52 anos, idade em que não é fácil suportar tais provas. Em qualquer caso, seria uma tarefa muito difícil parar Capablanca aos 32 anos. Nos anos anteriores, longe da guerra, o cubano havia ganhado força e estava em clara ascensão”.

Lasker ou Capablanca: qual campeão mundial tem maior relevância na história do xadrez? Deixe sua opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

Texto escrito pelo MF William Ferreira da Cruz.

Referências Bibliográficas: Meus Grandes Predecessores, Garry Kasparov – Volume 1

One Reply to “100 Anos do Match Lasker x Capablanca”

  • Gabriel Maganha

    Lasker muito mais relevante e superior caso ambos jogassem em nível máximo.

Deixe seu comentário