Conheça Os 5 Países Com Mais Grandes Mestres No Mundo

Quais Os 5 Países Com Mais Grandes Mestres?

Você sabe quais países do globo concentram o maior número de Grandes Mestres? A redação da Academia Rafael Leitão pesquisou e ficou surpresa com alguns dados. Conheça os cinco países com maior número de GMs e entenda os motivos disso.

 

Rússia

Kasparov, Karpov e Tal: soviéticos dominaram o xadrez no século passado

 

Com 240 GMs, a Rússia é de longe o país com o maior número de enxadristas com a titulação máxima no xadrez. O xadrez faz parte de um legado cultural deixado desde os tempos de União Soviética.

Em uma comparação histórica, o conhecimento sobre xadrez foi desenvolvido com grande velocidade no último século. Os motivos para isso são diversos, mas é fato que os enxadristas soviéticos foram os principais responsáveis pela evolução das técnicas do jogo.

Basta lembrar dos campeões mundiais soviéticos: Alekhine, Botvinnik, Smyslov, Tal, Petrosian, Spassky, Karpov e Kasparov. Depois do fim da União Soviética, no início dos anos 1990, a Rússia seguiu firme no top do xadrez mundial com Karpov, Kasparov e mais tarde Kramnik. Vale lembrar que o último desafiante ao título mundial, Sergey Karjakin, também é russo (naturalizado).

Se há quem diga que o Brasil ainda é o país do futebol (pelo menos até enfrentar a Alemanha), também é possível dizer que a Rússia é o país do xadrez.

 

Estados Unidos

Era Fischer: o grande momento do xadrez nos Estados Unidos

 

Os Estados Unidos aparecem na segunda colocação em número de GMs. Ao todo, 94 enxadristas estadunidenses alcançaram o feito. De fato, tradição também não falta para o xadrez deste país. Em 1854, Paul Morphy era considerado o melhor jogador do mundo, mas na época ainda não existia um campeonato mundial.

Também cabe ressaltar que os Estados Unidos venceram as Olimpíadas de Xadrez em seis ocasiões (1931, 1933, 1935, 1937, 1976 e 2016), sendo, também, os atuais campeões. No entanto, o momento de maior importância do xadrez dos Estados Unidos foi quando Robert James Fischer foi campeão mundial em 1972.

Atualmente o investimento segue forte no esporte e por isso, o xadrez nos Estados Unidos tende a se desenvolver ainda mais.

Alemanha

O alemão, Emanuel Lasker, dominou o xadrez por quase três décadas

 

Aqui está a surpresa para a Redação da Academia Rafael Leitão. A Alemanha possui nada menos do que 92 GMs. Curiosamente, nenhum deles está acima dos 2700. Destaque para o GM Artur Yusupov (naturalizado alemão).  Seus livros já contribuíram para a evolução de muitos enxadristas.

Também é fato que a Alemanha possui uma tradição respeitável no xadrez. Ainda na década de 1850, Adolf Anderssen era um dos principais adversários de Morphy. Anderssen era da Prússia, região que fazia parte do Império Alemão. Mais tarde, o alemão Emanuel Lasker dominou o xadrez entre 1894 e 1921.

Vale mencionar o único título alemão das Olimpíadas de Xadrez, em 1939. A equipe campeã foi composta por Erich Eliskases, Paul Michel, Ludwig Engels, Albert Becker e Heinrich Reinhardt. A Olimpíada de 1939 aconteceu em Buenos Aires, na Argentina. A II Guerra Mundial iniciou no transcorrer do evento.

 

Ucrânia

Campeões Olímpicos de 2010: Efimenko, Ivanchuk, Moiseenko, Ponomariov, Tukmakov (técnico) e Eljanov

 

Com 89 GMs a Ucrânia ocupa a quarta colocação no ranking. O país fazia parte da União Soviética e também aproveitou o legado histórico após a independência em 1991. A Ucrânia já venceu as Olimpíadas em duas ocasiões: 2004 e 2010, estando presente no pódio em diversas ocasiões. Vassily Ivanchuk é o melhor enxadrista da região.

 

Sérvia

Expoente iugoslavo, Gligoric, contra o campeão mundial, Spassky.

 

Outra surpresa para a redação. Na Sérvia, 57 enxadristas conquistaram o título de GM. O melhor enxadrista local da atualidade chama-se Robert Markus, 2644. Destaque também para o MI sérvio, sempre presente nos torneios brasileiros, Dragan Stamenkovic. Gligorić, Ljubojevic e Velimirovic são alguns nomes importantes na história do xadrez local.

A Sérvia é um país que pertencia a extinta Iugoslávia. A Iugoslávia era um país socialista com grande influência da União Soviética. Por isso, o xadrez recebia muito apoio na região. Entre as décadas de 1950 e 1960, a Iugoslávia conquistou 11 pódios em Olimpíadas, sendo considerada a segunda força do mundo no xadrez. Apesar das divisões territoriais, a cultura enxadrística permanece viva na Sérvia até os dias de hoje.

 

 

Também ficou surpreso com essas informações? Deixe sua opinião nos comentários.

 

Gostou deste artigo? Então compartilhe nas redes sociais!

7 Respostas a “Conheça Os 5 Países Com Mais Grandes Mestres No Mundo”

  • Newton

    Grande Mestre Rafael, vc concorda com as exigências da FIDE para conceder o título GM ? Por que existem GMs com ELO menor que do que ELO de alguns MIs ?? Já vi GM com ELO abaixo de 2450 . Na minha opinião, deveria haver mais exigências para obtenção do título de GM. Talvez deveria se estabelecer uma pontuação mínima (digamos ELO > 2600), além das três normas GMs exigidas atualmente.

    • Luiz Gustavo Serpa

      Não concordo. Seguindo sua ideia, por exemplo, Fier, Krikor, Milos ou o próprio Rafael Leitão não poderiam portar o título de GM porque estiveram ou estão com menos de 2600? Ou, para ser mais dramático, Victor Korchnoi no final da carreira já não tinha mais 2600 de ranting. Você seria capaz de afirmar que ele não merecia o título de GM? Creio que são coisas distintas o título de GM ou MI do rating momentâneo de qualquer jogador. Esses títulos são uma distinção dos jogadores que já atingiram o nível de maestria (as normas) de acordo com a exigência da Fide.

    • DEIVE PACHECO REBOUCAS

      Tem GM que depois de ter conquistado o título perdeu pontos.

  • José Manuel Teixeira

    José Manuel Teixeria

    14 out 2017

    Excecionalmente a FIDE pode atribuir o título de GM Fora isto, o amigo Newton sabe que para ser GM, a FIDE exige que o jogador (tanto para mulheres como para Homens) tenha pontuado 2500 pontos de Elo e registado 3 normas de GM. A partir daí o jogador pode deixar de jogar, pode atingir os 2600 pontos ou mais, e pode perder pontos e ir para os 2300, por exemplo. O titulo é vitalício. Tal como um arquiteto pode, concluída a licenciatura, jamais realizar um projeto e dedicar-se à pintura, que não deixa de ser arquiteto.
    José Manuel Teixeira

    • Igor

      Mulheres e menos rating pra virar WGM acho que e o mesmo rating de um IM ou de FM

  • Luiz

    Gostei
    - Eu acrescentaria na lista, menção honrosa para Israel e para Armenia, pela pequena população eles tem um indice de GMs/hab. impressionante (se não me engano! não conferi as contas, fiz de cabeça)

  • Pedro Santana Morse

    Há WGMs com menos de 2300, talvez tenha algum GM com menos de 2200. Concordo em partes, eu acho que quando um GM chegasse a 2400, ele deveria perder o titulo, e só reconquistar quando chegar aos 2500 novamente.

Deixe seu comentário