Retrospectiva 2018, O Xadrez No Brasil E Os Brasileiros Pelo Mundo

Retrospectiva 2018, o Xadrez no Brasil e os Brasileiros pelo Mundo

O fim do ano chegou e está na hora de relembrar o que de mais importante aconteceu no xadrez brasileiro em 2018.

 

Alexandr Fier é Campeão Brasileiro

C:UsersUserDesktopfier.jpg

 

O 84º Campeonato Brasileiro Absoluto foi realizado em fevereiro, no Rio de Janeiro.  A competição foi disputada por 16 jogadores, em sistema eliminatório. Pressionando seus adversários no tempo na maioria das ocasiões, Alexandr Fier foi irrepreensível e terminou a competição invicto. Fez 2×0 em Tiago Garrido Abrantes (2173), 2×0 no MF Luismar Brito (2318), 1.5 x 0.5 no GM Luis Paulo Supi (2553) e 2.5 x 0.5 no GM Krikor Mekhitarian (2533). Campeão em 2005, esse foi o segundo título nacional do GM Alexandr Fier.

 

Juliana Terao é Tetracampeã Brasileira

C:UsersUserDesktopterao (1).jpg

 

Entre os dias 17 a 23 de janeiro, aconteceu a edição de 2017 do Brasileiro Feminino. As partidas aconteceram no Clube de Xadrez da Guanabara, no Rio de Janeiro. O torneio foi disputado por dez enxadristas, no sistema todos contra todos. Após nove rodadas, a MF Juliana Sayumi Terao venceu a competição com sete vitórias e dois empates. Terao conquistou seu quarto título nacional, o terceiro consecutivo.

 

Um Tour Pelo Brasil

Como é impossível citar todos os torneios que aconteceram no país durante o ano de 2018, vamos tentar recordar os mais festejados.

No mês de janeiro, tivemos o Floripa Chess Open vencido pelo uruguaio Andrés Rodriguez; o Aberto do Brasil Terra Viva em Brasília, conquistado pelo GM Krikor Mekhitarian e o Torneio do Caçara, em Minas Gerais, cujo título ficou com o GM Henrique Mecking.

O mês de fevereiro foi marcado pelo título do GM Everaldo Matsuura no Aberto do Brasil 80 Anos do Clube de Xadrez de Curitiba.

Abril foi o mês do FENAC 2018, o Festival Nacional da Criança, realizado em Florianópolis, Santa Catarina.

Já em maio, além do Aberto Três Fronteiras, em Foz do Iguaçu-PR, conquistado pelo GM argentino Sandro Mareco, tivemos o GM Neuris Delgado campeão do Aberto do Brasil 101 anos Clube de Xadrez de Blumenau.

Entre maio e junho, aconteceu o tão aguardado Campeonato Brasileiro Amador de 2018, em São Paulo. Lindolfo Luiz da Silva venceu no Sub 2200; Airton Carlos Nunes Raimundo ganhou o Sub 2000; Felipe Cordeiro da Silva conquistou o título de Sub 1800; e Emerson Rossi levou o troféu do Sub 1600.

Entre junho e julho, o GM Krikor Mekhitarian venceu o IV Torneio Internacional de Concórdia, no Rio Grande do Sul.

Já em agosto, tivemos o Aberto do Brasil Copel Telecom Sesc Caiobá conquistado pelo lendário Grande Mestre peruano Julio Granda Zuniga e o Aberto de Teresina, vencido pelo GM Neuris Delgado.

Em setembro, destaque para os Jogos Abertos de Santa Catarina, vencidos no geral pela equipe de Blumenau, formada pelo GM Rafael Leitão, o GM Neuris Delgado, Gabriel de Borba, Guilherme de Borba, Nathan Felipe Filgueiras e Thiago Carstens Dobuchak. No feminino, a campeã foi a cidade Itajaí, formada por Kathiê Goulart Librelato, Larissa Ichimura, Maria Eduarda Zanotti, Ana Julia Librelato, Danieli de Melo, Gabriele de Melo e Nicoli Policarpo. Também em setembro, o GM Everaldo Matsuura venceu o Aberto de Blumenau.

Em novembro, o MF Felipe Menna Barreto venceu o Festival Internacional Duchamp In Rio, no Rio de Janeiro.

Além disso, tivemos ao longo do ano diversos torneios locais, eventos classificatórios para Campeonato Brasileiro de 2018, que só acontecerá em 2019, além de campeonatos estaduais.

 

GM Jaime Sunye de Volta aos Tabuleiros

C:UsersUserDownloadssunye.jpg

 

Aos 61 anos, o Grande Mestre Jaime Sunye Neto voltou aos tabuleiros em 2018, após vários anos de inatividade. No mês de janeiro, Sunye foi vice-campeão paranaense com três empates (um deles contra o GM Fier) e cinco vitórias. Outra participação positiva do lendário Grande Mestre brasileiro aconteceu no Aberto das Três Fronteiras. Na ocasião, Sunye demonstrou continuar com bom nível e terminou invicto. O GM paranaense ficou na oitava colocação com 6,5 pontos.

 

Alexandr Fier vence na Holanda

C:UsersUserDesktopfier na holanda.jpg

 

Entre os dias 23 de fevereiro a 04 de março aconteceu o 10º dMP Batavia Tournament, em Amsterdã, na Holanda. Curiosamente, a competição foi disputada em um bar, no tradicional Café Batavia 1920. Impecável, o GM Alexandr Fier conquistou o título invicto, com quatro vitórias e cinco empates. Seu rival mais poderoso foi o lendário GM Ivan Sokolov (2567), o qual finalizou com o vice-campeonato. Na campanha vitoriosa, Fier enfrentou enxadristas da Holanda, Rússia, Estados Unidos e Espanha.

 

Projeto Damas em Ação        

C:UsersUserDownloadspro.jpgCom o intuito de elevar o nível do xadrez feminino brasileiro, através de uma preparação digna para a Olimpíada de 2018, as enxadristas: MF Juliana Terao, WMF Julia Alboredo, WMF Suzana Chang, Ana Vitória Rothebarth, Thauane de Medeiros e Kathie Goulart Librelato lançaram o Projeto Damas em Ação – Rumo à Maestria.

Com o projeto, a equipe feminina do Brasil disputou os Abertos de Benasque e da Badalona, ambos na Espanha, além do Aberto de Andorra. Durante a turnê pela Europa, as meninas do Brasil ainda tiveram um treinamento de 24 horas, divididos em quatro dias, com o MI espanhol David Martinez.

 

Kathiê Goulart é Vice-Campeã Mundial Universitária

C:UsersUserDownloadska.jpg

O Mundial Universitário foi realizado em Aracaju, no Sergipe, entre os dias 13 a 18 de setembro. No torneio feminino, 24 enxadristas estiveram presentes, representando 11 países: Brasil, Argentina, China, República Tcheca, FrançaÍndia, Peru, Polônia, Eslovênia, Sérvia e Suíça. Apesar do baixo número de participantes, o nível da competição foi alto, com três WGM´s, cinco WMI´s e seis WMF´s.

Após nove rodadas, o vice-campeonato ficou com a WMI Kathiê Goulart Librelato (2110). A brasileira era apenas a pré-ranqueada número 12, mas fez um torneio excepcional e conseguiu faturar 42,2 pontos de rating FIDE. O destaque da campanha gloriosa foi a vitória contra a WGM Deysi Cori Tello (2391), do Peru, na última rodada. Kathiê e Deysi Cori terminaram juntas com 6,5 pontos, porém, a brasileira levou a medalha de prata pelo confronto direto.

Quem também tem motivos de sobra para comemorar é a WMF Julia Alboredo (2174). Pré-ranqueada número oito, Alboredo somou seis pontos (4 vitórias, 4 empates e 1 derrota) e terminou na quarta colocação com um rating performance de 2319. Por esse desempenho, a enxadrista faturou 41,6 pontos de rating FIDE.

Para obter a classificação geral por país, contando também o masculino, somaram-se os três melhores resultados de cada nacionalidade. Devido ao desempenho fantástico das meninas, a delegação brasileira terminou na terceira colocação geral. A China foi a equipe campeã e  a Polônia terminou em segundo.

 

O Brasil na Olimpíada de Batumi

C:UsersUserDownloadsbrasil.jpg

 

Equipe no Brasil no torneio absoluto. Em pé: GM Leitão e GM El Deb´s. Sentados: GM Fier e GM Mekhitarian. Ainda faltou o GM Supi

 

A Olimpíada de Xadrez 2018 foi realizada na cidade de Batumi, na Geórgia. No absoluto, os brasileiros terminaram na 63ª colocação, enquanto no feminino o Brasil terminou na 57ª posição. De fato, é preciso reconhecer que os resultados não foram bons, mas isso também não quer dizer que foi um fracasso total, afinal, a classificação final de uma Olimpíada tem relação direta com emparceiramentos favoráveis, em especial nas últimas rodadas.

 

Alexandr Fier é Campeão no Cazaquistão

C:UsersUserDownloadsfier no cazaquistão.jpg

 

O Grande Mestre Alexandr Fier conquistou o título do Almaty Open 2018, no Cazaquistão. Com quatro vitórias e cinco empates, Fier somou 6,5 pontos em nove rodadas e teve melhor critério de desempate em relação ao GM russo Vladimir Burmakin (rating FIDE: 2523), e ao cazaque Azamat Utegaliyev (2517).

O torneio foi realizado entre 16 e 23 de outubro e contou com a presença de 10 GM´s em um total de 39 participantes. Onze países tiveram representantes na competição: Azerbaijão, Bielorrússia, Brasil, República Tcheca, Geórgia, Cazaquistão, Moldávia, Rússia, Tajiquistão, Ucrânia e Uzbequistão. 

MI Jefferson Pelikian é Bicampeão Pan-Americano de Veteranos

O MI Jefferson Pelikian tornou-se bicampeão pan-americano de veteranos. Em 2018, o torneio aconteceu nas Ilhas Virgens Americanas, entre os dias 08 a 13 de dezembro. Pelikian terminou a competição com seis vitórias e três empates e superou o MI uruguaio Bernardo Roselli nos critérios de desempate. O torneio contou com a participação de enxadristas da Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, Cuba, Estados Unidos, Panamá e Uruguai.

 

Qual foi o principal momento do xadrez brasileiro em 2018? Deixe sua opinião nos comentários.

Gostou do artigo? Então compartilhe nas redes sociais.

One Reply to “Retrospectiva 2018, O Xadrez No Brasil E Os Brasileiros Pelo Mundo”

  • Eduardo Giorfi

    Ótimo artigo Rafael, oferecendo um panorama bastante interessante do xadrez brasileiro e seus principais resultados. Acho que só faltou falar um pouquinho também de você, embora posso entender que não foi esse o espírito que norteou o post. Valeu e boas festas para você, familiares, colaboradores da RL e amigos enxadristas.

Deixe seu comentário